OBSERVAÇÕES SOBRE O MITO E A EDUCAÇÃO MODERNA

REVISTA DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

Endereço:
Av. de Cillo, 3500 Pq Universitário
AMERICANA / SP
13467600
Site: /200.206.4.13/ojs/index.php/educacao/
Telefone: (19) 3471-9700
ISSN: 1518-7039
Editor Chefe: MARIA LUISA BISSOTO
Início Publicação: 31/05/1999
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Educação

OBSERVAÇÕES SOBRE O MITO E A EDUCAÇÃO MODERNA

Ano: 2012 | Volume: 1 | Número: 26
Autores: GIANFRANCO PETRONIO
Autor Correspondente: GIANFRANCO PETRONIO | gianfranco.petronio@unimib.it

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O mito é uma forma arcaica, pré-científica e, assim, aproximativa de conhecimento? Essa é a pergunta da qual toma pretexto a presente reflexão. A resposta, negativa, emerge após algumas observações centradas sobre a tese que considera o homem um ser já completamente humano desde o início da sua vivência existencial e histórica e, assim, capaz de colher e interpretar plenamente a essência do real. Corolário imediato dessa tese é a consideração do processo de aculturação (de acúmulo de instrumentos culturais) não como processo absolutamente progressivo, mas simplesmente modificativo, em última instância. O mito, então, dessa perspectiva, resulta ser uma visão direta do real, dos próprios fundamentos do real, que a humanidade conseguiu coletar e cristalizar. Um momento cognoscitivo de capital importância que a humanidade “sucessiva”, sobrecarregada de meios culturais técnico-científicos, está, de fato, impossibilitada de reencontrar e pode só parcialmente reconstruir. Mas se a experiência mítica direta é preclusa à humanidade moderna é, porém, ainda possível para qualquer ser humano na fase da infância. Cada nova geração, assim, pode abrir por um breve importantíssimo momento, a fresta do mito para toda a humanidade, mas isso só enquanto a estrutura educativa saiba fazer um passo atrás, não podendo ser metodologia e teoria formativa capazes de anular essa oportunidade insubstituível.