Uso da cataia para a produção de aguardente composta

Revista Eletrônica Científica da UERGS

Endereço:
Rua 7 de Setembro, 1156 - Centro
Porto Alegre / RS
90.010-191
Site: http://revista.uergs.edu.br/index.php/revuergs/
Telefone: (51) 3288-9006
ISSN: 24480479
Editor Chefe: Erli Schneider Costa
Início Publicação: 30/11/2015
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

Uso da cataia para a produção de aguardente composta

Ano: 2017 | Volume: 3 | Número: 2
Autores: Luciele Milani ZEM, Katia Christina ZUFFELATTO-RIBAS, Maria Izabel RADOMSKI, Henrique Soares KOEHLER, Agenor Maccari JUNIOR
Autor Correspondente: L.M. Zem | luzem@uol.com.br

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Drimys brasiliensis Miers e Pimenta pseudocaryophyllus (Gomes) Landrum, apesar de espécies diferentes, possuem o mesmo nome popular, cataia, sendo suas folhas utilizadas para aromatizar cacha-ça. Portanto o presente trabalho teve como objetivo avaliar o uso das folhas das duas espécies para a produção de aguardente com-posta por infusão. No primeiro experimento foram utilizadas folhas secas de Pimenta pseudocaryophyllus e folhas secas e verdes de Drimys brasiliensis, sendo que cada amostra foi pesada nas quanti-dades de um, dois e quatro g L-1 e colocadas em garrafas de vidro preparadas em quatro tempos de infusão de trinta, sessenta, noven-ta e cento e vinte dias. No segundo experimento foram utilizadas dois g L-1de folhas secas de Drimys brasiliensis nos mesmos tem-pos de infusão, as quais foram adicionadas em cachaça não enve-lhecida com 47,5% e 39,0% de álcool e aguardente de cana não envelhecida com 39,0% de álcool. Para a análise sensorial, uma equipe julgadora definiu as amostras a serem utilizadas, num total de seis por experimento e os testes de preferência foram realizados em escala Hedônica. Conclui-se que a cachaça com quatro g L-1 de folhas de Pimenta pseudocaryophyllus foi a mais aceita pelos con-sumidores.

Resumo Inglês:

Drimys brasiliensis and Pimenta pseudocaryophyllus, although being different species, share the same common name cataia and their leaves are flavouring of "cachaça". Therefore this study was to eval-uate the use of the leaves of both species for the production of bran-dy made by infusion. Dry leaves of Pimenta pseudocaryophyllus, green and dry leaves of Drimys brasiliensis were used in the first experiment. Each sample was weighted in one, two and four g L-1 and placed in infusion into glass bottles during four infusion periods of thirty, sixty, ninety and on hundred and twenty days. In the second experiment, two g L-1 of Drimys brasiliensis dry leaves were used during the same infusion periods, placed into not aged "cachaça" with 47.5% and 39.0% alcohol content and into not aged sugar cane "aguardente" with 39.0% alcohol content. For the sensory analysis used six samples for each experiment and preference tests were performed asking the guests to express appreciation of drinks on an Hedonic scale. It follows that "Cachaça" with four g L-1 of Pimenta pseudocaryophyllus was the most accepted by consumers.