ENEGRECENDO AS REDES: O ATIVISMO DE MULHERES NEGRAS NO ESPAÇO VIRTUAL

Gênero

Endereço:
Universidade Federal Fluminense - Programa de Estudos Pós Graduados em Política Social Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis Bloco E - 3º andar - Campus Universitário do Gragoatá - Niterói/RJ
Niterói / RJ
24210-201
Site: http://www.revistagenero.uff.br
Telefone: 2126292752
ISSN: 2316-1108
Editor Chefe: João Bôsco Hora Góis
Início Publicação: 31/07/2000
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Serviço social

ENEGRECENDO AS REDES: O ATIVISMO DE MULHERES NEGRAS NO ESPAÇO VIRTUAL

Ano: 2016 | Volume: 16 | Número: 2
Autores: Renata Barreto Malta, Laila Thaíse Batista de Oliveira
Autor Correspondente: Revista Gênero | [email protected]

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente artigo aborda os contornos que o feminismo negro brasileiro tem adquirido com a sua inserção nas redes sociais e o alcance e a multiplicação de informação através do compartilhamento de seus textos políticos. Tem como um dos seus focos a visibilização de histórias de mulheres negras antes invisíveis não só na internet, mas também nos meios de comunicação hegemônicos. Para embasar a reflexão aqui feita serão utilizados aportes de feministas negras como Sueli Carneiro, bell hooks, Luiza Bairros e Angela Davis.

Resumo Inglês:

This article intends to discuss the characteristics that the Black
Brazilian feminism has acquired within the social networks and the impact
of the multiplication of information by the sharing of political content texts.
Furthermore, it aims to understand the development of this space, traced by
self-narrative, providing visibility to stories of Black women, before invisible
not only on the internet but also in hegemonic media. This discussion is
theoretically anchored in Sueli Carneiro, bell hooks, Luiza Bairros, Angela
Davis, and other Black feminist´ works.