Isolamento de Candida no esfregaço cérvico-vaginal de mulheres não gestantes residentes em área ribeirinha do Estado do Maranhão, Brasil, 2012

Revista Pan-Amazônica de Saúde (RPAS)

Endereço:
Rodovia BR-316 km 7 - s/n - Centro
Ananindeua / PA
67030-000
Site: http://revista.iec.gov.br
Telefone: (91) 03214-2185
ISSN: 2176-6223
Editor Chefe: Dóris A. S. Corrêa e Isabella M. A. Mateus
Início Publicação: 02/01/2010
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Isolamento de Candida no esfregaço cérvico-vaginal de mulheres não gestantes residentes em área ribeirinha do Estado do Maranhão, Brasil, 2012

Ano: 2014 | Volume: 5 | Número: 1
Autores: Márcia Caroline Nascimento Sá, Haigle Reckziegel de Sousa, Claudia Simone Oliveira Amaro, Dirce Nascimento Pinheiro, Michele Moreira Martins de Oliveira, Maria da Conceição Nascimento Pinheiro
Autor Correspondente: Maria da Conceição Nascimento Pinheiro | [email protected]

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este estudo avaliou a prevalência da candidíase vaginal e os fatores associados à sua ocorrência em mulheres não gestantes, residentes às margens do rio Tocantins, atendidas pelo Programa de Atenção à Saúde da Mulher, no Município de Imperatriz, Estado do Maranhão, Brasil. Foram considerados dados demográficos, epidemiológicos, clínicos e citopatológicos oriundos do teste de Papanicolaou e da cultura microbiológica para fungos. Para isolamento do fungo foi utilizado cultura em ágar seletivo e diferencial para Candida, além de placas de Petri. A prevalência de fungos do gênero Candida no esfregaço cérvico-vaginal foi de 42,86%, com mais de 50% dos casos sintomáticos. Identificou-se que 28% das mulheres com candidíase vaginal encontravam-se na faixa etária de 20 a 29 anos, 37,4% tinham ensino fundamental incompleto, 66,4% eram de cor parda, a maioria (63,6%) tinha como ocupação as tarefas do lar, 58% viviam com renda mensal de um a três salários mínimos e 63,5% relataram ter parceiros fixos (considerando as casadas e com união estável). Dentre as espécies de Candida isoladas e identificadas, a C. albicans foi a mais prevalente. Conclui-se que a população estudada não possui conhecimentos suficientes sobre a candidíase vaginal sugerindo a necessidade de serem fortalecidas as práticas educativas, de orientação e conscientização dos hábitos que favoreçam o controle e prevenção dessa infecção.

Resumo Inglês:

This study evaluated the prevalence of vaginal candidiasis and factors associated with its occurrence in non-pregnant women living on the banks of the Tocantins river, assisted by Women's Health Program in the Municipality of Imperatriz, Maranhão State, Brazil. Demographic, epidemiological, clinical and cytological data were considered and obtained from the Pap smear and microbiological culture for fungi. In order to isolate fungus it was used culture on agar plate using a selective and differential media for Candida, besides Petri dishes. The prevalence of Candida fungi in cervicovaginal smear was 42.86%, with over 50% of symptomatic cases. It was identified that 28% of women with vaginal candidiasis were in the age group from 20 to 29 years old, 37.4% had incomplete elementary school, 66.4% were brown color, the majority (63.6%) had as occupation the housework, 58% lived on a monthly income of one to three minimum wages and 63.5% reported having a steady partner (considering married women and in a stable relationship). Among the isolated and identified Candida species, a C. albicans was the most prevalent. It is concluded that the studied population does not have enough knowledge about vaginal candidiasis, suggesting the necessity to reinforce the educational practices of guidance and education of their habits in order to control and prevent this infection.

Resumo Espanhol:

Este estudio evaluó la prevalencia da candidiasis vaginal y los factores asociados en mujeres no embarazadas, residentes en las costas del río Tocantins, atendidas por el Programa de Atención a la Salud de la Mujer, en el Municipio de Imperatriz, Estado de Maranhão, Brasil. Se consideraron los datos demográficos, epidemiológicos, clínicos y citohistológicos oriundos de examen Papanicolau y de cultivo microbiológico para hongos. Para el aislado del hongo se utilizó cultivo en agar selectivo y diferencial para Candida, además de placas de Petri. La prevalencia de hongos del género Candida en el frotis cervicovaginal fue de 42,86%, con más de 50% de casos sintomáticos. Fue verificado que un 28% de las mujeres con candidiasis vaginal tenía entre 20 y 29 años de edad, un 37,4% había cursado enseñanza primaria incompleta, 66,4% era de color pardo, la mayoría (63,6%) era ama de casa, 58% vivía con una renta mensual de uno a tres sueldos mínimos y 63,5% relató tener compañeros fijos (considerando las casadas y con unión estable). Entre las especies de Candida aisladas e identificadas, la C. albicans fue la más prevalente. Se concluye que la población estudiada no tiene conocimientos suficientes sobre la candidiasis vaginal sugiriéndose la necesidad de fortalecerse las prácticas educativas, de orientación y tomada de consciencia de hábitos que favorezcan el control y la prevención de esa infección.