O TRABALHO NÃO REMUNERADO E AS MULHERES

Gênero

Endereço:
Universidade Federal Fluminense - Programa de Estudos Pós Graduados em Política Social Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis Bloco E - 3º andar - Campus Universitário do Gragoatá - Niterói/RJ
Niterói / RJ
24210-201
Site: http://www.revistagenero.uff.br
Telefone: 2126292752
ISSN: 2316-1108
Editor Chefe: João Bôsco Hora Góis
Início Publicação: 31/07/2000
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Serviço social

O TRABALHO NÃO REMUNERADO E AS MULHERES

Ano: 2016 | Volume: 16 | Número: 2
Autores: Guiomar de Haro Aquilini
Autor Correspondente: Revista Gênero | [email protected]

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O objetivo deste texto é chamar a atenção para algumas construções culturais que afetam o patamar de inserção que as mulheres alcançam no mercado de trabalho e que incidem sobre o seu desenvolvimento profi ssional. Mesmo sendo maioria na população em idade ativa, a taxa de participação delas neste mercado é inferior à dos homens. Por outro lado, tanto a taxa como o tempo de desemprego feminino são maiores que os dos homens e a sua jornada de trabalho remunerada é menor. Essas desvantagens, provavelmente, estão associadas à desigual divisão entre os sexos das responsabilidades familiares. Através da análise dos resultados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) constatou-se que 25% e 29% das mulheres inativas de 16 a 24 e de 25 a 45 anos de idade, respectivamente, responderam que estão fora do mercado de trabalho porque não têm quem cuide dos seus filhos.

Resumo Inglês:

The aim of this paper is to call attention to how some cultural constructs
aff ect the level of integration of women reaching the labor market,
as well as their professional development. They are underrepresented in this
market, even though majority in the working age population, because their
participation rate is lower than that of men. On the other hand, both the
rate and duration of female unemployment are higher than men´s, as well as
their journey of paid work is lower. These disadvantages are probably associated
with the unequal gender division of family responsibilities. Through the
analysis of results from the Survey of Employment and Unemployment was
found that 25% and 29% of inactive women age 16-24 and 25-45 responded
that they are out of the labor market because they don’t have who take care
of their children.