TRABALHO FEMININO E MUDANÇAS NAS FAMÍLIAS NO BRASIL (1976-2012): UMA PERSPECTIVA DE CLASSE E GÊNERO

Gênero

Endereço:
Universidade Federal Fluminense - Programa de Estudos Pós Graduados em Política Social Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis Bloco E - 3º andar - Campus Universitário do Gragoatá - Niterói/RJ
Niterói / RJ
24210-201
Site: http://www.revistagenero.uff.br
Telefone: 2126292752
ISSN: 2316-1108
Editor Chefe: João Bôsco Hora Góis
Início Publicação: 31/07/2000
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Serviço social

TRABALHO FEMININO E MUDANÇAS NAS FAMÍLIAS NO BRASIL (1976-2012): UMA PERSPECTIVA DE CLASSE E GÊNERO

Ano: 2016 | Volume: 16 | Número: 2
Autores: Nathalie Reis Itaboraí
Autor Correspondente: Revista Gênero | [email protected]

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Os perfis familiares e profissionais das trabalhadoras brasileiras vem mudando nas últimas décadas e analisar tais transformações evidencia diferentes desafios para que a inserção profissional das mulheres seja construída numa perspectiva de igualdade de gênero nas esferas pública e privada. Inicialmente, são analisadas as diferenças por classe na participação feminina no mercado de trabalho, considerando-se a evolução da segregação ocupacional e as desigualdades de classe e gênero quanto a horas trabalhadas, rendimentos e proteção social do trabalho. A seguir, analisam-se os contextos familiares das mulheres trabalhadoras e a distribuição do trabalho doméstico e de cuidado infantil, enfatizando as desigualdades por gênero e classe nas responsabilidades familiares e seus impactos nas oportunidades de trabalho das mulheres. Por fim, apresenta-se um conjunto de regressões que mensuram as relações entre estas duas ordens de fenômenos, investigando as chances das mulheres participarem do mercado de trabalho segundo suas características familiares. Os dados estatísticos empregados foram coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em pesquisas amostrais (Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios, PNADs) de 1976, 1986, 1996, 2006 e 2012. A análise de classe baseou-se na classificação proposta por Valle Silva (2003) que inclui 16 categorias ocupacionais.

Resumo Inglês:

The familiar and professional profiles of female workers in Brazil
have been changing in recent decades and to analyze such transformations
shows different challenges for professional insertion of women been
constructed in a perspective of gender equality in the public and private
spheres. Initially, it is analyzed the class differentials in female participation in
the labor market, considering the evolution of occupational segregation and
the inequalities of class and gender in aspects such as worked hours, income,
and social protection of labor. Next, we analyze the familiar characteristics of female workers and the distribution of housework and childcare, emphasizing
inequalities by gender and class in family responsibilities and their impact on
female job opportunities. Finally, we present a set of regressions that measure
the relationship between these two orders of phenomena, investigating the
chances of women´s participation in the labor market according to their
familiar characteristics. The statistical data analyzed were collected by the
Brazilian census bureau (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -
IBGE), in sample surveys (Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios –
PNADs) carried out in 1976, 1986, 1996, 2006 and 2012. The class analysis
was based on the classification proposed by Valle Silva (2003) that includes
16 occupational categories.