Absenteísmo por doença de trabalhadores de enfermagem em um hospital público de média complexidade

Revista Terra & Cultura

Endereço:
Rua Alagoas, 2050 - Centro
Londrina / PR
86020430
Site: http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/index
Telefone: (43) 3375-7448
ISSN: 0104-8112
Editor Chefe: Fernando Pereira dos Santos
Início Publicação: 01/09/1985
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Psicologia

Absenteísmo por doença de trabalhadores de enfermagem em um hospital público de média complexidade

Ano: 2012 | Volume: 28 | Número: 55
Autores: Karina Marques França Correia, Larissa Gutierrez da Silva, Laura Misue Matsuda, Maria do Carmo Lourenço Haddad
Autor Correspondente: Laura Misue Matsuda | [email protected]

Palavras-chave: Absenteísmo; Recursos humanos de enfermagem no hospital; Serviço hospitalar de enfermagem.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A palavra “absenteísmo” pode ser definida como a ausência habitual do emprego, ou seja, uma expressão utilizada para designar a falta do empregado ao trabalho, sendo que os principais motivos desta ausência são as doenças e os acidentes de trabalho. Este trabalho tem o objetivo de avaliar o absenteísmo provocado por doenças entre os profissionais de enfermagem de um hospital de média complexidade. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo e documental, realizado por meio da revisão de dados arquivados – atestados médicos, em um hospital público de média complexidade do norte do Paraná. A população-alvo foi constituída por 78 trabalhadores da equipe de enfermagem - enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, que apresentaram atestado médico no período de janeiro a agosto de 2006. Entre os principais resultados encontrados a partir dos 54 atestados médicos analisados, destaca-se que a maioria das ausências é de mulheres (66,7%), 51,9% dos atestados são de trabalhadores entre 20 e 40 anos, 79,6% são de auxiliares de enfermagem e 46,3% trabalham no setor de internação. Os principais grupos de doenças identificados que levaram ao afastamento do trabalho foram: doenças do sistema músculoesquelético, os distúrbios mentais e problemas cardiovasculares. Os resultados obtidos indicam a necessidade do desenvolvimento de programas de saúde ocupacional, a fim de preservar, restaurar e melhorar a capacidade para o trabalho, atuando não somente junto ao indivíduo, mas também adaptando o ambiente e as tarefas às necessidades do trabalhador.