Adubação verde contribuindo para ciclagem de nutrientes em ambientes irrigados no semiárido brasileiro

Journal of Environmental Analysis and Progress

Endereço:
Rua Manoel de Medeiros - SN - Dois Irmãos
Recife / PE
52171-900
Site: http://www.jeap.ufrpe.br
Telefone: (81) 9974-0932
ISSN: 2525-815X
Editor Chefe: Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel
Início Publicação: 30/09/2016
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

Adubação verde contribuindo para ciclagem de nutrientes em ambientes irrigados no semiárido brasileiro

Ano: 2017 | Volume: 2 | Número: 4
Autores: S. da S. Brandão, A. M. Salviano, N. Olszevski, V. Giongo
Autor Correspondente: S. da S. Brandão | [email protected]

Palavras-chave: Coquetéis vegetais, manejo de solo, sustentabilidade agrícola

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A adução verde, por meio da semeadura simultânea de diferentes espécies, pode ser uma estratégia para mitigar o impacto ambiental devido uso de fertilizantes em ambientes irrigados no Semiárido brasileiro. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a produção de fitomassa seca e o acúmulo de nutrientes da parte aérea de dois tipos de coquetéis vegetais e da vegetação espontânea cultivados nas entrelinhas de um pomar de mangueira, em dois sistemas de manejo do solo, durante cinco ciclos de produção. O experimento foi conduzido no delineamento em blocos casualizados com quatro repetições, com os tratamentos dispostos em esquema de parcelas subdivididas. As parcelas foram constituídas por 2 sistemas de manejo (com e sem revolvimento do solo), e as subparcelas por 3 tipos de adubação verde: coquetel vegetal 1 (CV1); coquetel vegetal 2 (CV2) e vegetação espontânea (VE). Foram avaliados a fitomassa seca, teores e acúmulos de N, P, K, Ca, Mg e S. Os coquetéis vegetais cultivados, independentes da sua composição, produziram maiores quantidades de fitomassa seca em relação à vegetação espontânea e, consequentemente, acumularam maiores quantidades de nutrientes. Os teores médios de N e P foram menores na fitomassa da vegetação espontânea e no coquetel vegetal com predominância de gramíneas e oleaginosas, respectivamente, quando se utilizou a prática de incorporação dos resíduos vegetais. Os teores de Ca foram superiores na fitomassa do coquetel vegetal com predomínio de gramíneas e oleaginosas (CV2); e de Mg no coquetel com predomínio de leguminosas (CV1) e na vegetação espontânea (VE).