Análise de tendência nas variáveis meteorológicas de Porto Velho - Rondônia

Journal of Environmental Analysis and Progress

Endereço:
Rua Manoel de Medeiros - SN - Dois Irmãos
Recife / PE
52171-900
Site: http://www.jeap.ufrpe.br
Telefone: (81) 9974-0932
ISSN: 2525-815X
Editor Chefe: Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel
Início Publicação: 30/09/2016
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

Análise de tendência nas variáveis meteorológicas de Porto Velho - Rondônia

Ano: 2017 | Volume: 2 | Número: 4
Autores: M. J. G. da Silva, C. A. S. Querino, L. A. dos Santos Neto, D. da C. Silva, F. A. M. Saraiva
Autor Correspondente: M. J. G. da Silva | [email protected]

Palavras-chave: Amazônia, mudanças climáticas, dados históricos

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

As possíveis mudanças do clima na região amazônica têm sido foco de discussões de estudo em diversas áreas de conhecimento.  São crescentes as especulações de como as atividades humanas, econômicas e ambientais, tanto em nível global, como regional, influenciam o clima de uma determinada região. Questões pertinentes a este tema podem ser levantadas, e esse trabalho tem como objetivo avaliar se ocorreram mudanças nos padrões das variáveis meteorológicas: temperatura do ar (média, máxima e mínima), umidade relativa média do ar e no total anual de precipitação pluviométrica, no município de Porto Velho, Rondônia, na região Norte do Brasil. Foram analisadas as séries temporais das variáveis meteorológicas: temperatura do ar (média, máxima e mínima), umidade relativa do ar e precipitação pluviométrica, do município de Porto Velho, referente ao período de 1945 a 2005. No período de estudo, as séries de dados de temperatura do ar (média, máxima e mínima), umidade relativa do ar e precipitação pluviométrica apresentaram desvios positivos e negativos em relação à sua média histórica, apresentando tendências não significativas de aumento ou diminuição em relação ao valor médio. Os resultados observados para o período (1945 a 2005) corroboram com os estudos de simulação climática sobre possíveis impactos do desmatamento no clima da Amazônia. Porém, as informações disponíveis e os testes estatísticos aplicados não foram suficientes para comprovar que ocorreram alterações climáticas significativas na região.