Análise do comportamento das vazões nas bacias dos rios Paraopeba e Velhas

Revista Mineira de Recursos Hídricos (RMRH)

Endereço:
Rodovia Papa João Paulo II 4143 - Prédio Minas - 1º andar - Serra Verde
Belo Horizonte / MG
31630-900
Site: http://rmrh.igam.mg.gov.br
Telefone: (31) 3915-1568
ISSN: 2675-3359
Editor Chefe: Marília Carvalho de Melo
Início Publicação: 01/01/2020
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Engenharia sanitária, Área de Estudo: Multidisciplinar

Análise do comportamento das vazões nas bacias dos rios Paraopeba e Velhas

Ano: 2020 | Volume: 1 | Número: 2
Autores: M. de S. Fraga, L. P. R. Ribas
Autor Correspondente: M. de S. Fraga | [email protected]

Palavras-chave: DEMANDA HÍDRICA, ESTACIONARIEDADE, EVENTOS EXTREMOS, REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE (RMBH)

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente estudo teve como objetivo caracterizar o comportamento das vazões nas bacias hidrográficas dos rios Paraopeba (SF3) e Velhas (SF5), analisando a ocorrência de eventos extremos de máxima e mínima, bem como as tendências das séries históricas de vazões. Para isso, as séries históricas de vinte e uma estações fluviométricas presentes nas bacias foram analisadas. Foram determinadas as seguintes vazões: média de longa duração (Qmld) e mínima média de sete dias consecutivos, associada a um período de retorno de 10 anos (Q7,10). Posteriormente, foi avaliado o período chuvoso referente ao ano hidrológico de 2019/2020, bem como a ocorrência de vazões abaixo da Q7,10 para os anos de 2019 e 2020. Por fim, foi avaliada a estacionariedade dos dados de vazão utilizando o teste de Pettitt e a correlação de Spearman. Os resultados mostraram que o ano hidrológico pode ser definido de outubro a setembro, em ambas as bacias hidrográficas avaliadas. O período chuvoso do ano hidrológico de 2019/2020 foi caracterizado pelos altos valores de vazão nos cursos d’água, apresentando os maiores valores de vazão já registrados em algumas estações. Na bacia do rio Paraopeba foram observadas significativas condições de restrição efetiva de uso dos recursos hídricos no ano de 2019, com menores ocorrências na bacia do rio das Velhas. Com a análise das tendências foi possível observar que o período seco tende a se intensificar nas bacias do rio Paraopeba e rio das Velhas.



Resumo Inglês:

The purpose of the present study is to characterize the behavior of the flow in the basins of Paraopeba (SF3) and Velhas (SF5) rivers, analyzing the occurrence of extreme maximum and minimum events, as well as the trends of the historical flow series. For that, the historical series of twenty-one stream gauge stations present in the basins were analyzed. The following flows were determined: long-term average (Qmld) and average minimum of seven consecutive days, associated with a 10-year return period (Q7.10). Subsequently, the rainy period for the hydrological year 2019/2020 was evaluated, as well as the occurrence of flows below Q7.10 for the years 2019 and 2020. Finally, the stationarity of the flow data was evaluated using the Pettitt test and Spearman's correlation. The results showed that the hydrological year can be defined from October to September, in both analyzed basins. The rainy period of the 2019/2020 hydrological year was characterized by high flow rates in water courses, reaching the highest flow rates ever recorded in some stations. In the Paraopeba basin, significant conditions of effective restriction in the use of water resources were observed in 2019, with lower occurrences in the Velhas basin. With the analysis of the trends it was possible to observe that the dry period tends to be intensified in the basins of Paraopeba and Velhas rivers.