Análise epidemiológica da hanseníase na Microrregião de Tucuruí, Amazônia brasileira, com alto percentual de incapacidade física e de casos entre jovens

Revista Pan-Amazônica de Saúde (RPAS)

Endereço:
Rodovia BR-316 km 7 - s/n - Centro
Ananindeua / PA
67030-000
Site: http://revista.iec.gov.br
Telefone: (91) 03214-2185
ISSN: 2176-6223
Editor Chefe: Dóris A. S. Corrêa e Isabella M. A. Mateus
Início Publicação: 02/01/2010
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Análise epidemiológica da hanseníase na Microrregião de Tucuruí, Amazônia brasileira, com alto percentual de incapacidade física e de casos entre jovens

Ano: 2017 | Volume: 8 | Número: 3
Autores: Leandro Araújo Costa, Cláudio Joaquim Borba-Pinheiro, Juliana Henrique dos Reis, Sílvio Henrique dos Reis Júnior
Autor Correspondente: Leandro Araújo Costa | [email protected]

Palavras-chave: Hanseníase, Epidemiologia Descritiva, Perfil de Saúde, Mycobacterium leprae

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

OBJETIVO: Verificar o perfil epidemiológico da hanseníase na Microrregião de Tucuruí, estado do Pará, Brasil, nos anos de 2010 a 2014. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram coletados dados sobre os seis municípios da Microrregião de Tucuruí, referentes ao período de 2010 a 2014, disponibilizados no  Sistema de Informação de Agravos de Notificação, organizados em planilhas e analisados estatisticamente no software BioEstat v5.3. RESULTADOS: A Microrregião de Tucuruí está na segunda posição em notificações de casos no Estado, na terceira na Região Norte e na 17ª do Brasil; em 2010, registrou 95,53/100.000 habitantes e notificou 1.786 casos no período de 2010 a 2014, sendo 61,5% do sexo masculino; 45,0% na faixa etária de 15 a 39 anos; 66,5% com ensino fundamental como grau de instrução; e predominou a forma multibacilar (68,1%). Aproximadamente um terço (30,1%) da população estudada apresentou algum grau de incapacidade no momento do diagnóstico. É válido ressaltar que 214 casos ocorreram em menores de 15 anos de idade no período estudado, representando 12,0% do total. CONCLUSÃO: A Microrregião ainda permanece no perfil de hiperendemicidade, com elevado número de casos entre menores de 15 anos de idade, e/ou algum grau de incapacidade após a alta por cura, o que demonstra a necessidade de adoção de políticas de educação em saúde voltadas para a população em situação de risco, visando o diagnóstico precoce.



Resumo Inglês:

OBJECTIVE: To verify the epidemiological profile of leprosy in Tucuruí Microregion, Pará State, Brazil, from 2010 to 2014. MATERIALS AND METHODS: Data were collected on the six municipalities of Tucuruí Microregion from 2010 to 2014, available in the Brazilian Information System for Notifiable Diseases organized in spreadsheets and analyzed statistically in the BioEstat v5.3 software. RESULTS: Tucuruí Microregion is in the second position in case notifications in Pará, the third in North Region and the 17th in Brazil; in 2010, it was registered 95.53/100,000 inhabitants and reported 1,786 cases from 2010 to 2014, which 61.5% were male; 45.0% in the age group of 15 to 39 years old; 66.5% with elementary education as schooling status; and the multibacillary form predominated (68.1%). Approximately one-third (30.1%) of the study population presented some degree of disability at the time of diagnosis. It is important to note that 214 cases occured in children under 15 years old in the period studied, representing 12% of total. CONCLUSION: The Microregion still remains in the hyperendemicity profile with a high number of cases among children under 15 years old and/or some degree of  isability after hospital discharge demonstrating the need to adopt health education policies for people at risk situation aiming early diagnosis.