ASA QUE SE ELANÇOU, MAS NÃO VOOU

REVISTA DE LETRAS [email protected]

Endereço:
Avenida dos Ingás, 3001 Jardim Imperial Sala L10
Sinop / MT
78555-000
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos
Telefone: (66) 3511-2138
ISSN: 19838018
Editor Chefe: Rosana Rodrigues da Silva e Neusa Inês Philippsen
Início Publicação: 30/06/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

ASA QUE SE ELANÇOU, MAS NÃO VOOU

Ano: 2018 | Volume: 11 | Número: 26
Autores: A. Ferreira, R. S. Chaves
Autor Correspondente: A. Ferreira | [email protected]

Palavras-chave: Quase, Paratopia literária, Efeitos de sentido, Mário de Sá-Carneiro.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente trabalho visa a examinar a palavra quase como manifestação paratópica no discurso literário Quase de Mario de Sá-Carneiro. Partimos do pressuposto da existência de um movimento teso da palavra quase, o qual conflui a uma paratopia literária. Fundamentamo-nos na Análise do Discurso em sua perspectiva enunciativo-discursiva, mormente, o estudo da noção de paratopia, focalizada no âmbito desta perspectiva. Com isso, procurou-se verificar os efeitos de sentido da unidade lexical quase como constituinte do modo de manifestação literária, situado no início do século XX, na literatura do Modernismo português.