Associação do fluxo sanguíneo periférico e capacidade funcional em amputados de membro inferior

Revista de epidemiologia e controle de infecção

Endereço:
Hospital Santa Cruz Núcleo de Epidemiologia Hospitalar/Comissão de Controle de Infecção Rua Fernando Abott, 174 - Santa Cruz do Sul - RS - Brasil
/ RS
96810-072
Site: http://online.unisc.br/seer/index.php/epidemiologia
Telefone: (51)3713-7484
ISSN: 22383360
Editor Chefe: Marcelo Carneiro
Início Publicação: 30/11/2011
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Medicina

Associação do fluxo sanguíneo periférico e capacidade funcional em amputados de membro inferior

Ano: 2016 | Volume: 6 | Número: Suplemento
Autores: C. L. Goulart, A. P. D. Peiter, E. B. Eichelberger, R. K. Silva, A. C. F. Silva, A. L. G. Silva
Autor Correspondente: A. L. G. Silva | [email protected]

Palavras-chave: doença arterial periférica, membro inferior, atividade física

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Justificativa e Objetivo: A alteração do fluxo sanguíneo periférico (FSP) é fator de risco para diminuição da atividade física e amputação de inferior (MI). Avaliar a associação entre o FSP e a capacidade funcional de amputados traumáticos e não traumáticos de MI. Métodos: Estudo transversal realizado com 15 amputados de MI, usuários do Serviço de Reabilitação Física. Os pacientes foram avaliados pelo Índice Tornozelo Braquial (ITB), em decúbito dorsal, utilizando-se um esfigmomanômetro em membros superiores e MI preservado, para aferição da pressão arterial sistólica (com doppler vascular portátil) e cálculo do ITB. O Duke Activity Status Index (DASI) foi utilizado para avaliar atividades de vida diárias. Os pacientes foram alocados em dois grupos de amputados: não traumática (GAnT=6) e traumática (GAT=9). A análise estatística foi realizada pelo teste t de Student e correlação de Spearman para verificar associação entre as variáveis. Resultados: GAnT demonstrou predominância de amputação à esquerdo (n=3), mulheres (n=4), idade média 59,0±17,4 anos, Índice de Massa Corporal- IMC 35,5±7,3 Kg/m², DASI: 20,7±10,5 e classificação do ITB em normal (n=4) e DAP (n=2). No GAT houve predominância de amputação à esquerdo (n=7), homens (n=9), idade 50,4±17,4 anos, IMC 24,8±5,1 Kg/m², DASI: 24,2±8,1 e classificação do ITB em normal (n=8) e ITB limítrofe (n=1). O ITB geral diferiu significativamente entre GAnT e GAT [0,93±0,17 vs 1,11±0,12,p=0,03] e houve correlação positiva entre ITB e DASI no GAnT (r=0,85; p=0,03). Conclusão: GAnT apresentam valores reduzidos de ITB e pior fluxo sanguíneo periférico que interfere diretamente na sua capacidade funcional.



Resumo Inglês:

Background and Aim: The change of peripheral blood flow (PBF) is a risk factor for decreased physical activity and amputation of lower limb (LL). Objectives: To evaluate the association between PBF and functional capacity of the LL amputees for traumatic and non-traumatic reason. Methods: Cross-sectional study with 15 amputees of the Physical Rehabilitation Service. Patients were assessed by Ankle Brachial Index (ABI) at rest in the supine position using a sphygmomanometer in the upper limbs and LL preserved for measurement of systolic blood pressure with Doppler vascular portable and to calculate the ABI. The Duke Activity Status Index (DASI) was used for evaluates daily life activities. Patients were allocated in two groups: non traumatic amputation (GNTa=6) and traumatic amputation (GTa = 9). The analysis was performed by Student's t test and Spearman correlation to verify the association between variables. Results: In GNTa there was predominance of left amputation (n= 3), women (n=4), mean age 59.0±17.4 years, Body Mass Index -BMI 35.5±7.3kg/m², DASI: 20.7±10.5 and classification of ABI in normal (n=4) and DAP (n= 2). In G2 there was a predominance of left amputation (n=7), men (n=9), age 50.4±17.4 years, BMI: 24.8±5.1kg/m², DASI: 24.2±8.1 and classification of ABI in normal (n=8) and ABI borderline (n=1). The general ABI was difference between GNTa and GTa [0.93±0.17 vs 1.11±0.12, p=0.03] and positive correlation was found between ABI and DASI in GNTa (r =0.85; p=0.03). Conclusion: GNTa have reduced levels of ABI and worse peripheral blood flow, and this affects your functional capacity.