Ativos intangíveis influenciam no desempenho financeiro e no valor de mercado de companhias abertas familiares?

Revista Catarinense da Ciência Contábil

Endereço:
Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, 1900, - Centro
Florianópolis / SC
88015-710
Site: http://revista.crcsc.org.br
Telefone: (48) 3027-7006
ISSN: 2237-7662
Editor Chefe: Sérgio Murilo Petri
Início Publicação: 30/11/2001
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Ciências Contábeis

Ativos intangíveis influenciam no desempenho financeiro e no valor de mercado de companhias abertas familiares?

Ano: 2020 | Volume: 19 | Número: Não se aplica
Autores: Geovanne Dias de Moura, Suélen Aparecida Barbosa, Natália da Silva Schio, Sady Mazzioni
Autor Correspondente: Geovanne Dias de Moura | [email protected]

Palavras-chave: ativos intangíveis, desempenho financeiro, valor de mercado, companhias abertas familiares, intangible assets, financial performance, market value, family publicly traded companies

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O estudo objetivou verificar a influência dos ativos intangíveis no desempenho financeiro e no valor de mercado das companhias abertas familiares, listadas na B3. Para tal, realizou-se pesquisa descritiva, documental e quantitativa. Os dados foram obtidos por meio do Formulário de Referência e do banco de dados Economática, referentes ao período de 2010 a 2017. Para distinguir as companhias familiares, foi rastreada a cadeia de propriedade até identificar o último acionista controlador. Em relação aos ativos intangíveis, foi calculado, para cada empresa e em cada ano, o percentual em relação ao ativo total. O desempenho financeiro foi analisado por meio do ROA e ROE e o valor de mercado pelo índice market-to-book (MTB) e Q de Tobin. Em relação aos ativos intangíveis, os resultados revelaram que equivaliam a aproximadamente 6% do ativo total. Em relação ao desempenho financeiro, os testes de médias evidenciaram que as diferenças no ROA e ROE não são significativas entre as companhias familiares que possuíam maiores e menores investimentos em intangíveis. Todavia, confirmaram que o grupo com maiores percentuais de intangíveis apresentava as maiores médias de MTB e de Q de Tobin. Por fim, a análise multivariada revelou que o nível de intangibilidade é estatisticamente significativo apenas nos modelos referentes ao valor de mercado. Então, concluiu-se que em empresas familiares os intangíveis influenciavam apenas para um maior valor de mercado.



Resumo Inglês:

The study aimed to verify the influence of intangible assets on the financial performance and market value of the publicly traded companies listed in B3. For this, a descriptive, documental and quantitative research was carried out. The data were obtained through the Reference Form and the Economática database for the period from 2010 to 2017. To identify the family companies, the chain of ownership was traced until the last controlling shareholder was identified. In relation to intangible assets, the percentage of total assets was calculated for each company and in each year. Financial performance was analyzed through ROA and ROE and market value through the market-to-book (MTB) index and Tobin’s Q. In relation to intangible assets, the results showed that they corresponded to approximately 6% of total assets. Regarding financial performance, the means tests showed that the differences in ROA and ROE were not significant among family companies that had larger and smaller investments in intangibles. However, they confirmed that the group with the highest percentages of intangibles had the highest averages of MTB and Q of Tobin. Finally, the multivariate analysis revealed that the level of intangibility was statistically significant only in the models referring to the market value. Then, it was concluded that in family businesses intangibles influenced only to a greater market value.