A BANALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA NO ESTADO DE ALAGOAS

Revista GeoSertões

Endereço:
Rua Sérgio Moreira de Figueiredo, s/n - Campus do CFP-UFCG - Casas Populares
Cajazeiras / PB
58900000
Site: http://revistas.ufcg.edu.br/cfp/index.php/geosertoes/index
Telefone: (83) 3532-2000
ISSN: 25255703
Editor Chefe: Santiago Andrade Vasconcelos
Início Publicação: 30/06/2016
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Geografia

A BANALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA NO ESTADO DE ALAGOAS

Ano: 2018 | Volume: 3 | Número: 6
Autores: José Enes Alves Braga Júnior, Wellington Amancio Da Silva
Autor Correspondente: José Enes Alves Braga Júnior | [email protected]

Palavras-chave: VIOLÊNCIA, HISTÓRIA DA VIOLÊNCIA, VIOLÊNCIA NO BRASIL, VIOLÊNCIA EM ALAGOAS

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Neste artigo é discutida a violência a partir de dois filósofos alemães Theodor W. Adorno e Hannah Arendt, aquele define a violência como um meio de manifestar à desumanidade e criar uma resistência ao outro; esta, que destruirá a sociedade, e se for “legalizada” pelo Estado se tornara comum; as ideias de esclarecimento, moral, política e “paz eterna” do filósofo prussiano Immanuel Kant refletem a respeito da submissão ou libertação das pessoas. As análises das violências são focadas nos contextos nacional e alagoano durante o período de 2005-2015, o embasamento é a partir dos dados do Mapa da Violência de 2017 e da Secretária de Estado da Segurança Pública de Alagoas. As estatísticas apresentadas demonstram o quanto a desumanização banalizou-se no estado nordestino, essa cresceu e não cessou entre 2005 e 2015, os métodos empregados são as análises conceitual e historiográfica ao mesmo tempo em que refletimos sobre dados estatísticos. Conclui-se que o investimento no social pode servir de antídoto à crueldade crescente em Alagoas, entretanto, o descaso faz com que esse sirva de exemplo de como banalizá-la. 



Resumo Inglês:

In this article violence is discussed from two German philosophers Theodor W. Adorno and Hannah Arendt, who defines violence as a means of manifesting inhumanity and creating resistance to the other; this, which will  destroy  society,  and  if  it  has  been  "legalized"  by  the  state  it  has  become  common;  the  ideas  of enlightenment, moral, political and "eternal peace" of the Prussian philosopher Immanuel Kant reflect on the submission or liberation of the people. The analyzes of violence are focused on the national and Alagoan contexts during the period 2005-2015, based on data from the Map of Violence of 2017 and the Secretary of State for Public Security of Alagoas. The statistics presented demonstrate how much dehumanization has become commonplace in the Northeastern state, it has grown and did not cease between 2005 and 2015, the methods used are the conceptual and  historiographic  analyzes  while  reflecting  on statistical  data.  It  is concluded that investment in the social can serve as an antidote to the growing cruelty in Alagoas, however, neglect makes it serve as an example of how to trivialize it. 



Resumo Espanhol:

En este artículo se discute la violencia a partir de dos filósofos alemanes Theodor W. Adorno y Hannah Arendt, aquel define la violencia como un medio de manifestar a la inhumanidad y crear una resistencia al otro; ésta, que destruirá la sociedad, y si es "legalizada" por el Estado se ha vuelto común; las ideas de esclarecimiento, moral, política y "paz eterna" del filósofo prusiano Immanuel Kant reflejan acerca de la sumisión o liberación de las personas. Los análisis de las violencias se enfocan en los contextos nacional y alagoano durante el período 2005-2015, el fundamento es a partir de los datos del Mapa de la Violencia de 2017  y  de  la  Secretaria  de  Estado  de  la  Seguridad  Pública  de  Alagoas.  Las  estadísticas  presentadas demuestran cuánto la deshumanización se banalizó en el estado nordestino, esa creció y no cesó entre 2005 y  2015,  los  métodos  empleados  son  los  análisis  conceptuales  e  historiográficos  al  mismo  tiempo  que reflexionamos sobre datos estadísticos. Se concluye que la inversión en el social puede servir de antídoto a la  crueldad  creciente  en  Alagoas,  sin  embargo,  el  descuido  hace  que  éste  sirva  de  ejemplo  de  cómo banalizarla.