Composição florística e estrutura fitossociológica de um fragmento de Floresta Ombrófila Densa no município de Macaíba, RN

Revista [email protected] On-line

Endereço:
Centro de Ciências Agrárias, Campus do Caume, Universidade Federal de Roraima, Monte Cristo, Rod BR 174, s/n
/ RR
69000-000
Site: http://www.agroambiente.ufrr.br
Telefone: 95 3627 2573
ISSN: 19828470
Editor Chefe: Sandra Catia Pereira Uchôa
Início Publicação: 30/11/2007
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Agronomia

Composição florística e estrutura fitossociológica de um fragmento de Floresta Ombrófila Densa no município de Macaíba, RN

Ano: 2015 | Volume: 9 | Número: 4
Autores: L. H. B. Araújo, Richeliel A. R. Silva, K. P. T. Chagas, C. C. Nóbrega, J. A. S. Santana.
Autor Correspondente: Luan Henrique Barbosa de Araújo | [email protected]

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Estudos fitossociológicos em remanescentes florestais são de suma importância para caracterização da estrutura horizontal de comunidades florestais, pois gera dados que servem tanto de base para projetos de manejo florestal quanto para recuperação da biodiversidade. Nesse sentido, objetivou-se analisar a fitossociologia da vegetação, caracterizando a estrutura horizontal de um fragmento de Floresta Ombrófila Densa no Município de Macaíba-RN. Para a coleta de dados do componente arbóreo, utilizou-se a metodologia de pontos quadrantes, alocando cinco transectos espaçados de 15 m, perfazendo 175 pontos quadrantes ao longo das trilhas com distância de 8 m entre pontos. Na amostragem foram incluídos todos os indivíduos com diâmetro à altura do peito (DAP) ≥10 cm e altura mínima de 1,0 m. A densidade estimada do fragmento foi de 1.873 indivíduos ha-1, com área basal de 22,11 m² ha-1, índice de diversidade de Shannon de 3,19 nats.ind-1 e índice de equabilidade de Pielou de 0,79. A maior proporção de indivíduos se distribuiu entre os intervalos de 3,18 a 8,19 cm de diâmetro e 3,79 a 5,79 m de altura. Com base nos dados analisados do inventário florístico, a área estudada se caracteriza como Floresta Ombrófila Densa, em estágio médio de regeneração, tendo Copaifera cearenses como a espécie que apresentou maior valor de importância no fragmento.