CONFRONTANDO O NACIONALISMO ESTADUNIDENSE: HOSTILIDADE E DISCRIMINAÇÃO EM HAM ON RYE, DE CHARLES BUKOWSK

REVISTA DE LETRAS [email protected]

Endereço:
Avenida dos Ingás, 3001 Jardim Imperial Sala L10
Sinop / MT
78555-000
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos
Telefone: (66) 3511-2138
ISSN: 19838018
Editor Chefe: Rosana Rodrigues da Silva e Neusa Inês Philippsen
Início Publicação: 30/06/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

CONFRONTANDO O NACIONALISMO ESTADUNIDENSE: HOSTILIDADE E DISCRIMINAÇÃO EM HAM ON RYE, DE CHARLES BUKOWSK

Ano: 2017 | Volume: 10 | Número: 21
Autores: A. A. Mariscal, C.R. V. Braga
Autor Correspondente: A. A. Mariscal, C.R. V. Braga | [email protected]

Palavras-chave: nacionalismo, imigração, hostilidade, discriminação.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O artigo discute os efeitos do nacionalismo em Henry Chinaski, imigrante alemão em Ham on
Rye (1982), de Charles Bukowski. No romance, ambientes hostis dificultam as tentativas de
integração de Henry, submetido a uma discriminação constante, em contraste com os ideais de
pluralismo e inclusão, parte da identidade estadunidense. Investigamos os conflitos construídos
a partir das ideias oficiais de nação e de nacionalismo, concluindo que hostilidade e
discriminação permanentes resultam em violência, indiferença e desumanização. Ironicamente,
o isolamento dá ao imigrante uma percepção mais ampla acerca do mundo, levando-o a repensar
a nação e a rejeitar o nacionalismo romântico.