CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM ACERCA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS TRANSEXUAIS

Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança

Endereço:
Avenida Frei Galvão - Gramame
João Pessoa / PB
58067-695
Site: http://www.revista.facene.com.br
Telefone: (83) 2106-4777
ISSN: 23177160
Editor Chefe: Ana Lima Dantas
Início Publicação: 30/07/2013
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Ciências Agrárias, Área de Estudo: Agronomia, Área de Estudo: Medicina Veterinária, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Educação física, Área de Estudo: Enfermagem, Área de Estudo: Farmácia, Área de Estudo: Fisioterapia e terapia ocupacional, Área de Estudo: Medicina, Área de Estudo: Nutrição, Área de Estudo: Odontologia, Área de Estudo: Saúde coletiva

CONHECIMENTO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM ACERCA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS TRANSEXUAIS

Ano: 2019 | Volume: 17 | Número: 2
Autores: Fernandes, M., da Silva, W., Tolentino, T., Araújo, M., Joventino, M., & Silva, P.
Autor Correspondente: Maria Clara Lustosa Fernandes | [email protected]

Palavras-chave: Conhecimento, Transexuais, Enfermagem

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O tema transexualidade tem adquirido cada vez mais importância nas últimas décadas, mas infelizmente os serviços de saúde ainda enfrentam uma resistência, não apenas ao preconceito, homofobia, como também dificuldades de compreensão do principio da equidade, gerando um desafio para uma assistência de qualidade ao transexual. O objetivo do estudo é averiguar o conhecimento dos profissionais de enfermagem acerca da assistência a saúde dos transexuais. Trata-se de uma pesquisa descritivo-exploratória, com abordagem quantitativa, realizada no Hospital Universitário Nova Esperança na cidade de João Pessoa/PB, desenvolvida com 40 profissionais de enfermagem, sendo 10 enfermeiros e 30 técnicos de enfermagem, por meio da aplicação de um questionário semiestruturado. Os resultados do estudo mostram no que se refere à assistência a saúde dos transexuais que os profissionais já atenderam transexuais no referido hospital, porém estão inseguros quanto a esse atendimento, a exemplo da obrigatoriedade de encaminhamentos, onde a maioria dos profissionais representados por 52,5% responderam as opções provavelmente sim; com certeza não; provavelmente não e não sabe. Ressalta-se que os demais questionamentos expostos na mesma tabela, demostra que esses profissionais não possuem conhecimento acerca da assistência a saúde dessa população especifica. Diante dessa reflexão conclui-se que a maioria dos profissionais de saúde possui algum conhecimento sobre a assistência a saúde dos transexuais, porém, não deixa de se fazer necessário uma adequação das práticas em saúde ofertadas pelos serviços, com atuação de profissionais qualificados e informados sobre a cultura heteronormativa, buscando garantir o acesso integral e o cuidado à saúde sem preconceito e discriminação.



Resumo Inglês:

The theme of transsexuality has become increasingly important in recent decades, but unfortunately health services still face resistance, not only to prejudice, homophobia, but also difficulties in understanding the principle of equity, creating a challenge for quality healthcare. transsexual. The aim of the study is to ascertain the knowledge of nursing professionals about the health care of transsexuals. This is a descriptive and exploratory research, with quantitative approach, conducted at the Nova Esperança University Hospital in the city of João Pessoa / PB, developed with 40 nursing professionals, 10 nurses and 30 nursing technicians, by applying a semi-structured questionnaire. The results of the study show with regard to the health care of transsexuals that the professionals already attended transsexuals in the referred hospital, but are unsure about this service, such as the obligation of referrals, where most professionals represented by 52.5 % answered the options probably yes; certainly not; probably not and don't know. It is noteworthy that the other questions exposed in the same table, demonstrates that these professionals have no knowledge about the health care of this specific population. Given this reflection, it is concluded that most health professionals have some knowledge about the health care of transsexuals, but it is still necessary to adjust the health practices offered by the services, with the performance of qualified and informed professionals. heteronormative culture, seeking to ensure full access and health care without prejudice and discrimination.