Construindo a “Picada”: colonização florestal, capital social e obrigações comunitárias em Picada Felipe Essig, Travesseiro/RS

Ágora - UNISC

Endereço:
Avenida Independência, 2293 - Bloco 5, Sala 506
Santa Cruz do Sul / RS
1
Site: http://online.unisc.br/seer/index.php/agora/index
Telefone: (51) 3717-7378
ISSN: 19826737
Editor Chefe: [email protected]
Início Publicação: 28/02/1995
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: História

Construindo a “Picada”: colonização florestal, capital social e obrigações comunitárias em Picada Felipe Essig, Travesseiro/RS

Ano: 2018 | Volume: 20 | Número: 1
Autores: E. Relly
Autor Correspondente: E. Relly | [email protected]

Palavras-chave: imigração alemã, Picada, capital social

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A picada teuto-brasileira se constituiu historicamente a partir das colonizações florestais realizadas por comunidades oriundas da Europa de língua alemã ou de seus descendentes diretos. Neste sentido, o discurso sobre os assentamentos rurais teuto-brasileiros assumiu na historiografia uma dimensão que realçava os aspectos autossuficientes, comunitários e isolados destas mesmas comunidades diante da sociedade brasileira. Este artigo propõe repensar estas assertivas colocando em causa esta perspectiva a partir da teoria de capital social em contexto pré-modernos. Utiliza-se a Picada Felipe Essig/RS como estudo de caso para a verificação empírica dos pressupostos teóricos acima expostos. Logo, a picada teuto-brasileira aparece como uma expressão cultural atualizada do contexto de aldeia centro-europeia e surge como uma forma de organização social que embora mostre inúmeros conflitos em seu interior, apresenta, ao mesmo tempo, vetores de cooperação e institucionalização comunitária que pretenderam diminuir as complexidades do novo ambiente colonizado.



Resumo Inglês:

The German-Brazilian Picada was formed from the forest colonizations carried out by communities originated from the German-speaking Europe or from their direct descendants. In this sense, the discourse over the German-Brazilian settlements assumed in historiography a dimension that highlighted the aspects of self-sufficiency, community life and isolation of these communities before the bigger Brazilian society. This paper proposes to rethink these assumptions questioning them according to social capital theory in pre-modern contexts. Picada Felipe Essig, state of Rio Grande do Sul, Brazil, is the place where empirical observations took place in order to verify the theory’s assumptions. Therefore, the German-Brazilian Picada surges as an updated cultural expression connected to the context of the former central-European villages and as a form of social organization which - though the existence of several conflicts in its intern social development – shows at the same time cooperation vectors and community institutionalization that aimed at preventing the complexities of the new colonized environment.