DESAFIOS DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO SÉCULO XXI: A REPRESENTAÇÃO DO TRABALHO DE UM PROFESSOR A PARTIR DA ANÁLISE DO NÍVEL SEMÂNTICO

REVISTA DE LETRAS [email protected]

Endereço:
Avenida dos Ingás, 3001 Jardim Imperial Sala L10
Sinop / MT
78555-000
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos
Telefone: (66) 3511-2138
ISSN: 19838018
Editor Chefe: Rosana Rodrigues da Silva e Neusa Inês Philippsen
Início Publicação: 30/06/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

DESAFIOS DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO SÉCULO XXI: A REPRESENTAÇÃO DO TRABALHO DE UM PROFESSOR A PARTIR DA ANÁLISE DO NÍVEL SEMÂNTICO

Ano: 2018 | Volume: 11 | Número: 27
Autores: A. C. T. Gonçalves, C.C. Stefanello.
Autor Correspondente: C.C. Stefanello. | [email protected]

Palavras-chave: Parâmetros Curriculares Nacionais, Gêneros textuais, Trabalho docente, Representação.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O trabalho tem por objetivo identificar a representação de um professor de LP acerca dos PCNs do Ensino Fundamental e a interferência desse documento com o ensino de gêneros textuais. Para isso, fizemos uso do quadro teórico-metodológico do ISD, pautado nos escritos de Bronckart (1999). No que diz respeito à metodologia, foi analisado o contexto de trabalho de um professor de LP, com o corpus constituído por uma entrevista, a fim de realizar uma análise textual, abrangendo o nível semântico. Os resultados apontam para uma rejeição aos PCNs, o que demonstra a não valorização da linguagem como forma de interação social.



Resumo Espanhol:

El trabajo tiene por objetivo identificar la representación de un professor de LP delante de los PCNs de la Enseñanza Fundamental y la interferencia de este documento con la enseñanza de géneros textuales. Para ello, hicimos uso del marco teórico-metodológico del ISD, pautado en los escritos de Bronckart (1999). En lo que se refiere a la metodología, se analizó el contexto de trabajo de un profesor de LP, con el corpus constituido por una entrevista, a fin de realizar un análisis textual, abarcando el nivel semántico. Los resultados apuntan a un rechazo a los PCNs lo que demuestra no valorar el lenguaje como forma de interacción social.