Distribuição espacial da hanseníase em menores de 15 anos de idade, no município de Belém, estado do Pará, Brasil

Revista Pan-Amazônica de Saúde (RPAS)

Endereço:
Rodovia BR-316 km 7 - s/n - Centro
Ananindeua / PA
67030-000
Site: http://revista.iec.gov.br
Telefone: (91) 03214-2185
ISSN: 2176-6223
Editor Chefe: Dóris A. S. Corrêa e Isabella M. A. Mateus
Início Publicação: 02/01/2010
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Distribuição espacial da hanseníase em menores de 15 anos de idade, no município de Belém, estado do Pará, Brasil

Ano: 2020 | Volume: 11 | Número: 1
Autores: Mayumi Aragão Fujishima, Lanna Xantipa de Oliveira Lemos, Haroldo José de Matos
Autor Correspondente: Mayumi Aragão Fujishima | [email protected]

Palavras-chave: hanseníase, vigilância em saúde pública, epidemiologia, mapeamento geográfico, vulnerabilidade em saúde, menores de idade

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

OBJETIVOS: Identificar a distribuição espacial dos casos de hanseníase em menores de 15 anos de idade, no município de Belém, estado do Pará, Brasil, entre 2005 e 2014, e correlacionar a indicadores socioeconômicos. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo ecológico de 356 casos novos registrados em Belém, cujos dados foram coletados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Foram avaliadas as seguintes variáveis clínico-epidemiológicas: sexo, faixa etária, classificação operacional, forma clínica, grau de incapacidade física no diagnóstico, modo de detecção e coeficiente de detecção em menores de 15 anos de idade. Realizou-se o georreferenciamento, a partir do endereço registrado na ficha de notificação, para a produção de mapas com divisão por bairros, e correlacionou-se a taxa de incidência com os dados socioeconômicos de cada bairro, a partir da regressão linear. RESULTADOS: O município de Belém foi classificado como hiperendêmico para hanseníase em menores de 15 anos de idade, sendo destacados cinco bairros que concentravam aproximadamente 35% dos casos. Dos 71 bairros, 22 foram considerados hiperendêmicos pela taxa de detecção, e o georreferenciamento identificou duas áreas de clusters. A correlação com dados socioeconômicos demonstrou significância para falta de renda, ausência de coleta de lixo e ausência de coleta de esgoto. CONCLUSÃO: A distribuição da hanseníase não é homogênea no município, havendo necessidade de direcionamento dos recursos para as áreas de maior vulnerabilidade.



Resumo Inglês:

OBJECTIVES: To identify the spatial distribution of leprosy cases in children under 15 years old, in Belém, Pará State, Brazil, from 2005 to 2014, correlating with socioeconomic indicators. MATERIALS AND METHODS: An ecological study was conducted with 356 new cases registered in Belém, whose data were collected in the Information System for Notifiable Diseases. The following clinical and epidemiological variables were evaluated: sex, age group, operational classification, clinical form, degree of physical disability in the diagnosis, detection mode, and detection coefficient in children under 15 years old. Georeferencing was carried out from the address registered in the notification form, for the production of maps with neighborhood divisions, and the incidence rate was correlated with the socioeconomic data of each neighborhood, using linear regression. RESULTS: Belém was classified as hyperendemic for leprosy in children under 15 years old, and five districts with approximately 35% of cases. Of the 71 neighborhoods, 22 were considered hyperendemic due to the detection rate, and georeferencing identified two areas of clusters. The correlation of socioeconomic data showed significance for lack of income, absence of garbage collection, and absence of sewage collection. CONCLUSION: The leprosy distribution is not homogeneous in Belém, with the necessity to direct resources to the most vulnerable areas.