A EXPERIÊNCIA DE PROFESSORES NO ENSINO REMOTO: DILEMAS, SAÚDE MENTAL E CONTEXTOS DE TRABALHO NA PANDEMIA

Expressa Extensão

Endereço:
Rua Gomes Carneiro, 1 - Centro
Pelotas / RS
96010-610
Site: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao
Telefone: (53) 3284-3992
ISSN: 2358-8195
Editor Chefe: Paula Garcia Lima
Início Publicação: 31/05/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

A EXPERIÊNCIA DE PROFESSORES NO ENSINO REMOTO: DILEMAS, SAÚDE MENTAL E CONTEXTOS DE TRABALHO NA PANDEMIA

Ano: 2021 | Volume: 26 | Número: 2
Autores: Ana Carolina Borges Leão Martins, Roniel Sousa Damasceno, Marília Albuquerque de Sousa, Maria Vitória Silva Ripardo, Luiz Victor Coelho Albuquerque, Maria Alayny Cavalcante Melo
Autor Correspondente: Expressa Extensão | [email protected]

Palavras-chave: Pandemia. Saúde Mental. Educadores. Psicanálise. Trabalho.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente artigo se propõe a problematizar as condições da escola virtualizada vigente no campo educacional em tempos de pandemia pela COVID-19. Assim, questiona-se quais os possíveis impactos que o ensino remoto traz para a práxis cotidiana, bem como para a mobilização subjetiva dos professores. Construiu-se, para tanto, um relato de experiência, a partir de intervenções realizadas pelos autores, no período de abril/junho de 2020, com educadores e gestores de escolas públicas localizadas na cidade de Sobral, no interior do Estado do Ceará. Metodologicamente, optou-se pela escrita de um diário de campo coletivo que foi analisado por meio de elaborações teóricas tanto da psicologia escolar como da interface psicanálise e educação. Como resultados das vivências de campo, elencou-se três eixos temáticos que formam o escopo central deste artigo, a saber: os impasses relacionados à transposição da escola para os moldes virtuais, o imperativo neoliberal de uma escola que não pode parar e o sofrimento psíquico que advém de práticas irrefletidas e da sobrecarga de trabalho vivenciada pelos professores. Por fim, apoiados na intervenção de uma escuta psicanalítica orientada, apostamos nas potencialidades da promoção de espaços nos quais o discurso institucional possa circular livremente entre os educadores, desta forma, possibilitando-os à reflexão sobre suas práticas, bem como sobre os endereçamentos que o novo cenário pandêmico tem imposto ao campo da educação.