Fungos anemófilos isolados de bibliotecas de instituições de ensino da Região Nordeste do Brasil

Revista Pan-Amazônica de Saúde (RPAS)

Endereço:
Rodovia BR-316 km 7 - s/n - Centro
Ananindeua / PA
67030-000
Site: http://revista.iec.gov.br
Telefone: (91) 03214-2185
ISSN: 2176-6223
Editor Chefe: Dóris A. S. Corrêa e Isabella M. A. Mateus
Início Publicação: 02/01/2010
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Fungos anemófilos isolados de bibliotecas de instituições de ensino da Região Nordeste do Brasil

Ano: 2021 | Volume: 12 | Número: 1
Autores: Davi Porfirio da Silva, Rodrigo José Nunes Calumby, Lais Nicolly Ribeiro da Silva, Jayane Omena de Oliveira, José Rafaelly Gaia de Sousa, Delane Cristina da Silva, Rossana Teotônio de Farias Moreira, Maria Anilda dos Santos Araújo
Autor Correspondente: Maria Anilda dos Santos Araújo | [email protected]

Palavras-chave: Fungos, Contagem de Colônia Microbiana, Bibliotecas

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

INTRODUÇÃO: Estudos sobre micobiota anemófila de bibliotecas evidenciam ampla variedade de fungos, incluindo aqueles potencialmente patogênicos, oferecendo risco ocupacional e manifestações alérgicas a seus frequentadores. OBJETIVO: Avaliar a ocorrência de fungos anemófilos em bibliotecas de instituições de ensino da educação básica e superior da cidade de Maceió, estado de Alagoas, Brasil. MATERIAIS E MÉTODOS: Amostras do ambiente foram obtidas a partir da exposição de 55 placas de Petri contendo ágar Sabouraud com cloranfenicol em três bibliotecas de três instituições de ensino. As colônias fúngicas resultantes foram submetidas à identificação por meio da associação de aspectos macroscópicos e microscópicos, utilizando-se microcultivo. Ensaios fenotípicos complementares também foram utilizados. RESULTADOS: Das 55 amostras analisadas, foram obtidas 351 unidades formadoras de colônias (UFC), das quais 331 (94,3%) corresponderam a fungos filamentosos e 20 (5,7%) a leveduriformes. As espécies de fungos filamentosos mais frequentes foram Penicillium sp., Cladosporium sp., Alternaria sp., Aspergillus sp. e Curvularia sp., destacando-se maior predomínio de Penicillium sp. em uma biblioteca cujo ambiente não era climatizado, com 80 (22,7%) UFC. CONCLUSÃO: Os resultados deste estudo evidenciam ampla variedade de fungos com potencial patogênico e toxigênico, que podem desencadear processos alérgicos, ratificando assim a importância do estabelecimento de protocolos de higiene e de desinfecção nesse tipo de ambiente.



Resumo Inglês:

INTRODUCTION: Studies on airborne mycobiota from libraries show a wide variety of fungi, including those potentially pathogenic, offering occupational risk and allergic manifestations to their visitors. OBJECTIVE: To evaluate the occurrence of anemophilous fungi in libraries of educational institutions of basic and higher education in the city of Maceió, Alagoas State, Brazil. MATERIALS AND METHODS:Samples of the air were obtained from the exposure of 55 Petri dishes containing Sabouraud agar with chloramphenicol in three libraries of three educational institutions. The resulting fungal colonies were subjected to identification through the association of macroscopic and microscopic aspects, using microculture. Complementary phenotypic assays were also performed. RESULTS: A total of 351 colony-forming units (CFU) were obtained from the 55 analyzed samples, of which 331 (94.3%) were filamentous fungi and 20 (5.7%) were yeasts. The most frequent filamentous fungus species were Penicillium sp., Cladosporium sp., Alternaria sp., Aspergillus sp., and Curvularia sp., with a greater predominance of Penicillium sp. in a library that was not acclimatized, with 80 (22.7%) CFU. Conclusion: The results of this study show a great diversity of fungi with pathogenic and toxigenic potential, which can trigger allergic processes, thus confirming the importance of establishing hygiene and disinfection protocols in this type of environment.