As histórias reais da reportagem: modos de endereçamento e as estratégias do telejornal

Lumina

Endereço:
FACOM - Universidade Federal de Juiz de ForaRua Professor Lourenço Kelmer, s/nCampus Martelos
Juiz de Fora / MG
36036-330
Site: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina
Telefone: (32) 2102-3601
ISSN: 19814070
Editor Chefe: Gabriela Borges Martins Caravela
Início Publicação: 31/05/2007
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Comunicação

As histórias reais da reportagem: modos de endereçamento e as estratégias do telejornal

Ano: 2021 | Volume: 15 | Número: 3
Autores: Martins, M., Negrini, M., Piccinin, F.
Autor Correspondente: Martins, M | [email protected]

Palavras-chave: Jornalismo de Televisão; Efeitos de Realidade; Modos de Endereçamento; Informalidade; Aproximação com a Audiência.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este artigo propõe uma reflexão sobre as narrativas telejornalísticas e os modos contemporâneos de endereçamento (ELLSWORTH, 2001), orientados pela contínua busca de vinculação e aproximação às suas audiências, a partir da radicalização da oferta de sentidos de real. Com a finalidade de demarcar a autenticidade de seu dizer, o telejornalismo evidencia elementos voltados ao reforço dos sentidos de realidade (GOFFMAN, 2004) e de informalidade, focando na diminuição da distância entre emissor e receptor. Para observar esta dinâmica, analisa-se a reportagem especial Sertão do Nordeste tem desperdício de água em áreas assoladas pela seca, de Chico Regueira e Alberto Fernandes, levada ao ar em 20 de março de 2017, no matutino Bom Dia Brasil, da Rede Globo. Metodologicamente, foram observados padrões de recorrência da estética amadora para marcar a informalidade nas reportagens, a partir do modelo dos operadores proposto por Gomes (2007): 1) o mediador; 2) o contexto comunicativo; 3) o pacto sobre o papel do jornalismo; e a 4) organização temática. Observou-se, fruto do estudo que os novos modos de endereçamento são estratégia de sedução e de vinculação com as audiências, e que estes incorporam na autenticação da narrativa do telejornal, elementos próprios das linguagens digitais (GUTMANN, 2021).