JOAQUIM CARDOZO: UM POETA BISSEXTO?

Enlaces

Endereço:
Avenida Araújo Pinho - 39 - Canela
Salvador / BA
40110-150
Site: https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/enlaces
Telefone: (71) 3221-0330
ISSN: 2675-9810
Editor Chefe: Valter Dias
Início Publicação: 31/12/2020
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Linguística, Letras e Artes, Área de Estudo: Letras, Área de Estudo: Linguística

JOAQUIM CARDOZO: UM POETA BISSEXTO?

Ano: 2021 | Volume: 2 | Número: Não se aplica
Autores: Renan Ferreira da Silva
Autor Correspondente: Renan Ferreira da Silva | [email protected]

Palavras-chave: Joaquim Cardozo, Historiografia literária, Poesia, Bissexto, Manuel Bandeira

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A produção lírica de Joaquim Cardozo dispõe de uma ampla importância no cenário literário nacional. Porém, a sua quietude, como também a sua descrição, proporcionaram um âmbito de esquecimento cultivado pela crítica e pela historiografia entorno da sua presença poética, chegando a ser inserido na Antologia dos Poetas Bissextos Contemporâneos (1946) organizada por Manuel Bandeira. A propósito disso, esse trabalho busca analisar a inserção de Joaquim Cardozo na Antologia de Bissextos de Manuel Bandeira, refletindo a presença lírica do engenheiro-poeta em revistas e livros, bem como as características que o tornariam um poeta bissexto, para, dessa forma, contestar essa titulação atribuída a ele por Bandeira. Com isso, em questões metodológicas, a pesquisa configura-se como bibliográfica, ou seja, feita por meio do levantamento de referências já publicadas, apresentando como base as discussões teóricas de Serro (2012), Pádua (2013) e Houaiss (1976), entre outros. Como resultados, podemos verificar que Cardozo não se configura como um poeta bissexto, pois a sua inserção na referida antologia não está relacionada com uma inconstante produção ou com uma escassez temática, e sim com uma ação para elevar a notoriedade a lírica de um poeta de grande relevância para a poesia brasileira.



Resumo Inglês:

Joaquim Cardozo's lyric production is of great importance to the national literary scene, yet his stillness, as well as his description, provided a sphere of for-getfulness cultivated by critics and the historiography around his poetic presence, to the point of him being included in the Antologia dos Poetas Bissextos Contemporâneos (1946) organized by Manuel Bandeira. In this regard, this work seeks to analyze Joaquim Cardozo’s insertion in the Antologia de Bissextos by Manuel Bandeira, reflecting the engineer-poet’s lyric presence in magazines and books, as well as the characteristics that would make him a leap poet, in order to contest this title attributed to him by Bandeira. Thus, concerning methodological issues, the research configures as bibliographic, that is, through the survey of references already published, presenting as a foundation the theoretical discussions of Serro (2012), Pádua (2013) and Houaiss (1976), among others. As a result, we can verify that Cardozo does not configure as a bissextile poet, since his insertion in the referred anthology is not related to inconstant production or thematic scarcity, but with an action to raise the lyrical notoriety of a poet of great relevance to Brazilian poetry.