Kant vergegenwärtigt. Fundamento, postulado, intuição intelectual

Kant e-Prints

Endereço:
Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência (CLE), Rua Sérgio Buarque de Holanda, Nº 251 - Cidade Universitária
Campinas / SP
13083-859
Site: https://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/kant-e-prints/index
Telefone: (19) 3521-6520
ISSN: 1677-163X
Editor Chefe: Daniel Omar Perez
Início Publicação: 01/01/2002
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Ciências Humanas

Kant vergegenwärtigt. Fundamento, postulado, intuição intelectual

Ano: 2020 | Volume: 15 | Número: 3
Autores: F. Ferraguto
Autor Correspondente: F. Ferraguto | [email protected]

Palavras-chave: Fichte, J.G., Reinhold, K.L., Kant, I., filosofia transcendental, intuição intelectual.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O artigo visa mostrar como o gesto filosófico reinholdiano de construção de uma filosofia elementar (§ 3) e o fichteano de fundamentar toda filosofia como ciência rigorosa em uma intuição intelectual alcançada através de um postulado (§ 4), mais do que uma traição da impostação fundamental da crítica da razão kantiana, refletem uma tentativa de aprofundar elementos implícitos nela, sobretudo no que diz respeito à sua dimensão metodológica (§ 2). Isto permite estabelecer uma continuidade entre o criticismo de Kant e o chamado de idealismo alemão que ultrapassa toda concepção baseada sobre uma apropriação indevida ou uma assimilação seletiva do criticismo por parte deste último, e pode ser entendida como presentificação (§ 5).



Resumo Inglês:

The paper aims to show how the reinholdian philosophical attempt of building an elementary philosophy (§ 3) and the fichtian one of basing all philosophy as rigorous science on an intellectual intuition reached through a postulate (§ 4), rather than a betrayal of fundamental imposition of the critique of Kantian reason reflects an attempt to deepen elements implicit in it, above all regarding its methodological aspect (§ 2). This makes it possible to establish a continuity between Kant’s criticism and the so-called German idealism that goes beyond any conception based on a misappropriation or a selective assimilation of criticism and can be understood as presentification (§ 5).