A língua falada no teatro e em telenovelas brasileiras: um percurso pela História das Ideias Linguísticas

Línguas e Instrumentos Linguísticos

Endereço:
Rua Sérgio Buarque de Holanda - 421 - Cidade Universitária
Campinas / SP
13083-859
Site: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil
Telefone: (19) 3521-6729
ISSN: 2674-7375
Editor Chefe: Greciely Cristina da Costa
Início Publicação: 03/12/2020
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Linguística, Letras e Artes, Área de Estudo: Linguística

A língua falada no teatro e em telenovelas brasileiras: um percurso pela História das Ideias Linguísticas

Ano: 2020 | Volume: 23 | Número: 45
Autores: Vieira, Laise Aparecida Diogo
Autor Correspondente: Vieira, Laise Aparecida Diogo | [email protected]

Palavras-chave: Regularizaçao, Legitimaçao, Memoria

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Na esteira dos estudos em História das Ideias Linguísticas em sua relação com a Análise do Discurso, interessa-nos compreender a construção do discurso sobre a correção e a unidade linguística, que coloca em evidência o sentido de neutralidade da pronúncia de artistas em cena. Para isso, buscamos tecer um percurso de análise a partir de um arquivo, que recorta a memória do dizer nas manifestações dramatúrgicas, voltando-nos para o Primeiro Congresso Brasileiro de Língua Falada no Teatro (1956), em seu funcionamento político, em que se objetivava regular um “ideal” de fala e como isso ainda ecoa em montagens contemporâneas, no teatro e na televisão. A relação entre unidade e diversidade, a alteridade e o efeito dos congressos na construção das ideias linguísticas são questões abordadas neste artigo.  



Resumo Inglês:

In the course of our studies in the field of History of Linguistic Ideas and its relationship with Discourse Analysis, here we sought to understand the construction of discourse on correction and linguistic unity, which puts in evidence the sense of neutrality around how an actor should speak. For that purpose, we weave our analytical path from an archive which curates the memory of speech in these arenas, the Primeiro Congresso Brasileiro da Língua Falada no Teatro (1956), and analyze it in its political operations, from which the goal of regulating an “ideal” speech - which still holds in our contemporary setting – in theater and television. The relationship between unity and diversity, the otherhood and the effects produced by these congresses in the construction of linguistic ideas are the questions approached by this article.