Levantamento fitossociológico de plantas daninhas em áreas de bananicultura no Vale do Rio Gorutuba, norte de Minas Gerais

Revista [email protected] On-line

Endereço:
Centro de Ciências Agrárias, Campus do Caume, Universidade Federal de Roraima, Monte Cristo, Rod BR 174, s/n
/ RR
69000-000
Site: http://www.agroambiente.ufrr.br
Telefone: 95 3627 2573
ISSN: 19828470
Editor Chefe: Sandra Catia Pereira Uchôa
Início Publicação: 30/11/2007
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Agronomia

Levantamento fitossociológico de plantas daninhas em áreas de bananicultura no Vale do Rio Gorutuba, norte de Minas Gerais

Ano: 2015 | Volume: 9 | Número: 3
Autores: H. G. S. Sarmento, J. M. Campos Filho , I. Aspiazú , T. M. Rodrigues, E. A. Ferreira.
Autor Correspondente: Hercules Gustavo dos Santos Sarmento | [email protected]

Palavras-chave: Monitoramento. Musa spp.. Sombreamento. Variáveis fitossociológicas.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O levantamento fitossociológico é muito importante para conhecer a comunidade infestante e, com isso, realizar de forma mais adequada o manejo das plantas daninhas. Objetiva-se com este trabalho identificar as principais espécies de plantas daninhas em áreas de bananicultura recém-implantadas e em produção na região do norte de Minas Gerais. Para caracterização e estudo fitossociológico da comunidade infestante, avaliaram-se duas áreas de banana-prata, ambas com 10 hectares, nas quais se utilizou o método do quadrado inventário, lançado aleatoriamente por meio de um caminhamento em ziguezague. Avaliaram-se as seguintes variáveis fitossociológicas: frequência, frequência relativa, densidade, densidade relativa, abundância, abundância relativa, índice de valor de importância, índice de valor de importância relativa e índice de similaridade. Na área recém-implantada foram encontradas 17 espécies, divididas em 15 gêneros e dez famílias, destacando-se, dentre essas, as famílias Fabaceae e Poaceae. As espécies com maiores índices de importância foram: Sida spp. (62,38), Galinsoga parviflora (32,36), Amaranthus hybridus (24,93) e Ipomoea hederifolia (19,61). No bananal em produção, encontraram-se 12 espécies, 12 gêneros e dez famílias, com destaque para a família Asteraceae. As espécies que apresentaram maiores índices de valor de importância relativa foram: Commelina benghalensis (39,19), Emilia fosbergii (34,42) e Amaranthus hybridus (32,96). Entre as duas áreas houve diferença nas médias de densidade e nos números de plantas com metabolismo C4; na área recém-implantada foram cinco e na área em produção foram três. O Índice de Similaridade entre as duas áreas foi de 48,27%, sendo sete espécies comuns às duas áreas.