Mapeamento Sistemático em Metodologias de Ensino-aprendizagem de Programação

Revista de Ciência da Computação

Endereço:
Estrada do Bem Querer, km 4, Caixa Postal 95
Vitória da Conquista / BA
45083-900
Site: http://periodicos2.uesb.br/index.php/recic/issue/view/338
Telefone: (77) 3424-8665
ISSN: 2596-2701
Editor Chefe: Gidevaldo Novais dos Santos
Início Publicação: 29/03/2019
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Ciências Exatas, Área de Estudo: Ciência da computação

Mapeamento Sistemático em Metodologias de Ensino-aprendizagem de Programação

Ano: 2020 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: Cátia Mesquita Brasil Khouri, Gidevaldo Novais dos Santos, Maria Silva dos Santos Barbosa.
Autor Correspondente: Cátia Mesquita Brasil Khouri | [email protected]

Palavras-chave: metodologias de ensino, programação, mapeamento sistemático

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O processo de ensino-aprendizagem de programação vem atraindo mais e mais a atenção da comunidade acadêmica. Por um lado, devido aos altos índices de reprovação e repetência nas disciplinas de programação nos cursos de graduação da área tecnológica. Por outro lado, devido ao interesse crescente de inserir o pensamento computacional na educação básica, o que de fato vem acontecendo em vários países ao redor do mundo. No Brasil, até então, o ensino de programação só foi incluído nos cursos técnicos integrados ao ensino médio. Este mapeamento sistemático apresenta uma visão abrangente das estratégicas metodológicas que têm sido propostas para o ensino de programação na educação básica – ensino médio. Foram coletados dados nas publicações em periódicos e anais de eventos de âmbito nacional que discutem questões relativas ao uso de tecnologias na educação, no período de 2014 a 2020. A identificação inicial de 983 artigos que trazem "ensino- aprendizagem de programação"em seu título ou resumo revelam a importância do tema no meio acadêmico. O estudo identifica uma série de ferramentas e estratégias experimentadas em cursos presenciais, a distância ou semipresenciais; na educação formal, em oficinas ou cursos livres. Observa-se uma preferência por atividades plugadas, ou seja, com utilização de algum dispositivo eletroeletrônico, o que pode se justificar ao considerar a faixa etária do público-alvo e suas preferências na utilização destes, sendo possível considerar o acesso a tais recursos como algo relevante para a escolha. Justifica-se ainda o objetivo de utilizar uma metodologia que potencialize a ação do aprendiz, deslocando a centralidade das atividades de aprendizagem para o maior interessado no processo: o aluno - e considerando, por exemplo, os aspectos motivadores. Outro aspecto relevante identificado é que a pesquisa na área ainda se apresenta incipiente e carece tanto de maior aprofundamento teórico-conceitual quanto de experimentação metodologicamente controlada.