Modelos alométricos para estimativa da área foliar de mangueira pelo método não destrutivo

Revista [email protected] On-line

Endereço:
Centro de Ciências Agrárias, Campus do Caume, Universidade Federal de Roraima, Monte Cristo, Rod BR 174, s/n
/ RR
69000-000
Site: http://www.agroambiente.ufrr.br
Telefone: 95 3627 2573
ISSN: 19828470
Editor Chefe: Sandra Catia Pereira Uchôa
Início Publicação: 30/11/2007
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Agronomia

Modelos alométricos para estimativa da área foliar de mangueira pelo método não destrutivo

Ano: 2015 | Volume: 9 | Número: 1
Autores: S. F. da Silva, P. A. Cabanez, R. F. de Mendonça, L. R. Pereira, J. A. T. do Amaral
Autor Correspondente: S. F. da Silva | [email protected]

Palavras-chave: Crescimento vegetativo, Dimensões foliares, Mangifera indica L. Modelos matemáticos

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A área foliar é uma das mais importantes medidas de avaliação do crescimento vegetativo; sendo assim, o conhecimento sobre tal aspecto permite estimar a perda de água por transpiração, devido às folhas serem os principais órgãos responsáveis pelas trocas gasosas entre a planta e o ambiente, tornando-se importante o seu estudo. Dessa forma, objetivou-se com a realização deste trabalho testar e obter o melhor modelo matemático para estimativa da área foliar da mangueira (Mangifera indica L.) cv. Haden em função das suas dimensões alométricas. Utilizou-se um pomar localizado na propriedade São Domingos, no município de Alegre, sul do Estado do Espírito Santo, onde foram coletadas 80 folhas de 20 mangueiras em outubro de 2013. As regressões foram determinadas considerando-se a área foliar real (AFR) como variável dependente, e o comprimento (C), a largura (L) e o produto das dimensões lineares (C x L) de cada folha, como variáveis independentes. Com base nos resultados obtidos, concluiu-se que a equação polinomial y= -0,0001x²+0,6934x+4,7677 foi o melhor modelo matemático para estimar a área foliar da mangueira, com R² de 0,97. Os modelos que utilizam C x L são os mais adequados para estimar a área das folhas da mangueira, uma vez que apresentam maior correlação.