O ESGRIMISTA DA MODERNIDADE: BAUDELAIRE E A POÉTICA DO CHOQUE

REVISTA DE LETRAS [email protected]

Endereço:
Avenida dos Ingás, 3001 Jardim Imperial Sala L10
Sinop / MT
78555-000
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos
Telefone: (66) 3511-2138
ISSN: 19838018
Editor Chefe: Rosana Rodrigues da Silva e Neusa Inês Philippsen
Início Publicação: 30/06/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

O ESGRIMISTA DA MODERNIDADE: BAUDELAIRE E A POÉTICA DO CHOQUE

Ano: 2018 | Volume: 11 | Número: 24
Autores: M. Voltarelli
Autor Correspondente: M. Voltarelli | [email protected]

Palavras-chave: trauma; choque; Charles Baudelaire; Walter Benjamin

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A partir da importância do conceito psicanalítico de “trauma” para a cultura desde o início do século XX, este artigo busca compreender como esse conceito aparece na obra de Baudelaire, obra fundamental para a compreensão da modernidade que, segundo Walter Benjamin, estaria marcada pela “vivência do choque”. Neste sentido, Benjamim pensa a poesia de Baudelaire como uma poesia que teria incorporado na sua própria estrutura a noção de choque. Ao passar pela relação ambígua do poeta com a multidão, Benjamin nos sugere uma relação ambígua de Baudelaire com a própria modernidade, deslocando a sua poesia dos lugares tradicionais.



Resumo Inglês:

From the importance of psychoanalytic concept of trauma for culture from the early twentieth century, this article seeks to understand how this concept appears in the work of Baudelaire, fundamental for understanding the modernity, time which, according to Benjamin, was marked by the “shock experience”. In this sense, Benjamin thinks Baudelaire's poetry as a poetry that would have incorporated in its own structure the notion of the shock. As he passed by the ambiguous relationship of the poet with the crowd, Benjamin suggests an ambiguous relationship between Baudelaire and the modernity itself, shifting his poetry of its traditional places.