O OLHAR EUROCÊNTRICO NO CONTEXTO ESCOLAR BRASILEIRO

Revista Eventos Pedagógicos

Endereço:
Av. dos Ingás, 3001 - Jardim Imperial
Sinop / MT
78 550 -124
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/eventos/index
Telefone: (66) 3511-2128
ISSN: 2236-3165
Editor Chefe: Dra. Cristinne Leus Tomé
Início Publicação: 31/07/2010
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Educação

O OLHAR EUROCÊNTRICO NO CONTEXTO ESCOLAR BRASILEIRO

Ano: 2021 | Volume: 12 | Número: 1
Autores: A. D. Ayres, F. R. Brando
Autor Correspondente: A. D. Ayres | [email protected]

Palavras-chave: ensino básico, livro didático, populações indígenas, etnocentrismo, Lei 11.645/08.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A imagem criada dos indígenas segue um estereótipo muito parecido com os retratos do período colonial, inclusive no contexto escolar. Objetiva-se refletir acerca dessas representações em livros didáticos, atendendo adequadamente a Lei 11.645/08. Trata-se de uma pesquisa exploratória, de revisão bibliográfica, confrontada com o olhar indígena. Livros didáticos repercutem generalizações da cultura indígena – reduzindo mais de 350 etnias – a um grupo padronizado e homogêneo. Destaca-se que integrantes indígenas classificam as representações como consequência do imaginário colonial persistente no Brasil. A abordagem etnocêntrica nos livros didáticos poderia reforçar a desmistificação desses estereótipos, com a consultoria a indígenas qualificados para debater.



Resumo Inglês:

The image created of the indigenous people follows a stereotype very similar to portraits from the colonial period, including in the school context. The objective is to reflect on these representations in textbooks, properly complying with Law 11.645/08. This is an exploratory research, with a bibliographic review, confronted with the indigenous view. Textbooks reflect generalizations of indigenous culture, reducing more than 350 ethnic groups to a standardized and homogeneous group. It is noteworthy that indigenous members classify the representations as a consequence of the persistent colonial imaginary in Brazil. The ethnocentric approach in textbooks could reinforce the demystification of these stereotypes, with the supervision of qualified indigenous people to debate.