O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO ÂMBITO ESCOLAR: A POSIÇÃO DO PROFESSOR FRENTE ÀS SITUAÇÕES PRECONCEITUOSAS EM DUAS ESCOLAS NA CIDADE DE SINOP/MT/BRASIL

REVISTA DE LETRAS [email protected]

Endereço:
Avenida dos Ingás, 3001 Jardim Imperial Sala L10
Sinop / MT
78555-000
Site: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos
Telefone: (66) 3511-2138
ISSN: 19838018
Editor Chefe: Rosana Rodrigues da Silva e Neusa Inês Philippsen
Início Publicação: 30/06/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO ÂMBITO ESCOLAR: A POSIÇÃO DO PROFESSOR FRENTE ÀS SITUAÇÕES PRECONCEITUOSAS EM DUAS ESCOLAS NA CIDADE DE SINOP/MT/BRASIL

Ano: 2016 | Volume: 9 | Número: 20
Autores: N. I. Philippsen, J. P. dos Santos
Autor Correspondente: N. I. Philippsen, J. P. dos Santos | [email protected]

Palavras-chave: Sociolinguística Variacionista, preconceito linguístico, professores de língua portuguesa, Escola Jardim Paraíso, Escola Nossa Senhora da Glória.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Esta pesquisa é de cunho bibliográfico e estudo comparado, tem como objetivo analisar o
preconceito linguístico em duas escolas da cidade de Sinop, uma localizada na região central e
outra que se encontra mais próxima da zona rural. Os dados foram coletados através de
entrevistas semiestruturadas, questionários e observações. A pesquisa visa apresentar reflexões e
sugestões para a desmistificação do preconceito linguístico a partir de análises relativas à
posição dos professores, nas escolas, diante de ações preconceituosas. Apresentamos, como
construto teórico para esta investigação, a Sociolinguística Variacionista ou Teoria da Variação.
Concluímos que os professores de Língua Portuguesa da Escola Jardim Paraíso, que estão
atuando há mais de dez anos na sala de aula, não receberam na universidade formação para
trabalharem com este tema, já os professores da Escola Nossa Senhora da Glória, que estão
atuando há menos de dez anos, possuem estes conhecimentos. Além disso, verificou-se que os
professores costumam corrigir as variedades ―erradas‖ que os alunos utilizam.