Políticas da performatividade: a experiência da Praia da Estação em Belo Horizonte e a afirmação de um direito menor

REVISTA DE CIÊNCIAS DO ESTADO - REVICE

Endereço:
Avenida João Pinheiro, nº 100, Centro.
Belo Horizonte / MG
30130-180
Site: https://seer.ufmg.br/index.php/revice/index
Telefone: (31) 3409-8620
ISSN: 25258036
Editor Chefe: Victoria Nicolielo Reginatto
Início Publicação: 31/05/2016
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: História, Área de Estudo: Direito, Área de Estudo: Serviço social, Área de Estudo: Multidisciplinar, Área de Estudo: Multidisciplinar

Políticas da performatividade: a experiência da Praia da Estação em Belo Horizonte e a afirmação de um direito menor

Ano: 2020 | Volume: 5 | Número: 1
Autores: Igor Viana
Autor Correspondente: I. Viana | [email protected]

Palavras-chave: Praia da Estação, Performatividade, Espaço, Direito Menor.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

este artigo propõe uma reflexão sobre o caráter performativo da política e do direito através da experiência da Praia da Estação em Belo Horizonte e em diálogo com Carla Rodrigues, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Igor Oliveira, Judith Butler e Thálita Motta. Essa experiência urbana é um evento artístico-cultural que ocorre desde 2010, transformando a praça central da capital de Minas Gerais (um estado sem mar) em uma verdadeira praia. Ele surge após o Decreto nº 13.798/2009 do então prefeito Márcio Lacerda,proibindo a realização de eventos de qualquer natureza na Praça da Estação. Entendo que a Praia é um evento que celebra o poder performativo dos corpos de que nos fala Judith Butler. Corpos que colocam em ato o caráter público da praça e o direito à cidade no próprio ato de realizar sua manifestação. Dialogando também com a “literatura menor” de Deleuze e Guattari, essa dimensão performativa presentifica, ao meu ver, um devir minoritário do direito como tarefa do povo. Um direito menor capaz de constituir outros mundo possíveis.



Resumo Inglês:

this article proposes a reflection on the performative character of politics and law through the experience of Praia da Estação in Belo Horizonte and in dialogue with Carla Rodrigues, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Igor Oliveira, Judith Butler and Thálita Motta. This urban experience is an artistic-cultural event that has occurred since 2010, transforming the central square of the capital of Minas Gerais (a State without a sea) into a true beach. It comes after the Decree nº 13.798/2009 of the mayor Márcio Lacerda, prohibiting the holding of events of any kind in Estação’s Square. I understand that the Praia da Estação is an event that celebrates the performative power of bodies that Judith Butler talks about. Bodies that put into effect the public character of the square and the right to the city in the very act of carrying out its manifestation. Also in dialogue with the “minor literature” of Deleuze and Guattari, this performative dimension represents, in my view, a minority becoming of law as the task of the people.