Prevalência da infecção endocervical de Chlamydia trachomatis em universitárias do estado do Pará, Região Amazônica, Brasil

Revista Pan-Amazônica de Saúde (RPAS)

Endereço:
Rodovia BR-316 km 7 - s/n - Centro
Ananindeua / PA
67030-000
Site: http://revista.iec.gov.br
Telefone: (91) 03214-2185
ISSN: 2176-6223
Editor Chefe: Dóris A. S. Corrêa e Isabella M. A. Mateus
Início Publicação: 02/01/2010
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Prevalência da infecção endocervical de Chlamydia trachomatis em universitárias do estado do Pará, Região Amazônica, Brasil

Ano: 2017 | Volume: 8 | Número: 3
Autores: Leonardo Miranda dos Santos, Wlyana Lopes Ulian, Josinaide Quaresma Trindade, Francisca Dayse Martins de Sousa, Jessica Fernanda Galdino Oliveira, Cássia Cristine Costa Pereira, Danielle Murici Brasiliense, Benedito Antônio dos Prazeres, Mihoko Yamamoto Tsutsumi, Edna Aoba Yassui Ishikawa, Maísa Silva de Sousa
Autor Correspondente: Leonardo Miranda dos Santos | [email protected]

Palavras-chave: Doenças Bacterianas Sexualmente Transmissíveis, Doenças Negligenciadas, Estudos Transversais

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

OBJETIVOS: Descrever a prevalência e os fatores associados à infecção endocervical por Chlamydia trachomatis em estudantes de uma universidade da capital e de três de seus campi do interior do estado do Pará, Amazônia, Brasil. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo transversal, com mulheres de idade igual ou superior a 18 anos, que realizaram o preventivo do câncer do colo uterino, de setembro de 2010 a outubro de 2014. O DNA da secreção cérvico-vaginal foi extraído pelo método fenol-clorofórmio e submetido à amplificação dos genes da β-globina humana e ompA de C. trachomatis por reação em cadeia da polimerase. Foram utilizados os testes de Mann-Whitney, estimação da proporção e odds ratio para análises estatísticas. O p ≤ 0,05 foi considerado estatisticamente significativo para um intervalo de confiança (IC) de 95%. RESULTADOS: A prevalência de C. trachomatis foi de 11,9% [54/454 (IC 95% 8,9–14,9)]. A infecção foi identificada em 10,4% [36/345 (IC 95% 7,2–13,7)] das estudantes da Capital e em 16,5% [18/109 (IC 95% 10,3–24,6)] das estudantes dos campi do interior (p = 0,12), sendo de 7,1% (2/28) no Interior 1, 22,2% (6/27) no Interior 2 e 18,5% (10/54) no Interior 3. Não foi observada associação entre as variáveis investigadas e a infecção endocervical por C. trachomatis. CONCLUSÃO: A prevalência da infecção por C. trachomatis entre as universitárias se assemelhou à média encontrada no Brasil e não se mostrou associada às condições sociodemográficas e comportamentais das universitárias investigadas. 



Resumo Inglês:

OBJECTIVES: To describe the prevalence and factors associated with endocervical infection by Chlamydia trachomatis in students from a university in the capital and three campuses in inland towns of Pará State, Amazon, Brazil. MATERIALS AND METHODS: A cross-sectional study with women aged 18 years or older who underwent cervical cancer prevention from September 2010 to October 2014. DNA from cervicovaginal secretion was extracted using the phenol-chloroform method and subjected to the amplification of the human β-globin and ompA genes of C. trachomatis by polymerase chain reaction. Mann-Whitney tests, proportion estimation, and odds ratio were used for statistical analysis. The p ≤ 0.05 was considered statistically significant for a confidence interval (CI) of 95%. RESULTS:The prevalence of C. trachomatis was 11.9% [54/454 (95% CI 8.9–14.9)]. Infection was identified in 10.4% [36/345 (95% CI 7.2–13.7)] of the students in the Capital and in 16.5% [18/109 (95% CI 10.3–24.6) of students from the campuses in the inland towns (p = 0.12), with 7.1% (2/28) in the Town 1, 22.2% (6/27) in the Town 2, and 18.5% (10/54) in the Town 3. No association between the investigated variables and the endocervical infection by C. trachomatis was observed. CONCLUSION: The prevalence of C. trachomatis infection among those university students was similar to the average found in Brazil and was not associated with the sociodemographic and behavioral conditions of the university students investigated.