Prevalência de queixas vocais em agentes comunitários de saúde

Bionorte

Endereço:
Avenida Osmani Barbosa, 11.111 - Conjunto Residencial JK
Montes Claros / MG
39404-006
Site: http://revistas.funorte.edu.br/revistas/index.php/bionorte
Telefone: (38) 2101-9288
ISSN: 2175-1943
Editor Chefe: Árlen Almeida Duarte de Sousa
Início Publicação: 01/02/2014
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Ciências Biológicas, Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Multidisciplinar

Prevalência de queixas vocais em agentes comunitários de saúde

Ano: 2021 | Volume: 10 | Número: 1
Autores: J. de A. N. Murta, F. P. Jorge, P. C. de C. Almeida, H. B. L. dos Anjos, D. N. Ladeia, L. de P., L. A. R. Rossi-Barbosa
Autor Correspondente: J. de A. N. Murta | [email protected]

Palavras-chave: distúrbios da voz, Estratégia Saúde da Família, saúde do trabalhador, agentes Comunitários de Saúde, qualidade vocal

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Objetivo: Verificar a prevalência dos sinais e sintomas de distúrbios vocais dos Agentes Comunitários de Saúde atuantes no município de Montes Claros, Minas Gerais. Materiais e Métodos: tratou-se de um estudo transversal e quantitativo. Foi aplicado um questionário que contemplou questões acerca do perfil da população, dos aspectos da voz baseados no Índice de Triagem de Distúrbio de Voz e também sobre a percepção da população com relação ao uso da voz no dia a dia. Resultados: participaram do estudo 674 pessoas. 62,1% dos entrevistados eram adultos jovens e 83,8% do sexo feminino. A grande maioria era casada, com ensino médio completo e renda mensal familiar de aproximadamente dois salários mínimos. Mais da metade dos entrevistados (56,5%) está há menos de cinco anos no emprego e atende menos de 120 famílias. Cerca de 70,5% possuem sinais e sintomas de alterações vocais, sendo os mais citados a garganta seca, o pigarro, o cansaço ao falar e a rouquidão. Quanto ao uso da voz no dia a dia, 50,1% disseram que falavam muito. Conclusão: o presente estudo demonstrou alta prevalência de queixas vocais entre os participantes, chamando a atenção para a necessidade de desenvolver planos de prevenção e tratamento de alterações vocais.



Resumo Inglês:

Objective: check the signals and symptoms of voice disorders of Community Health Workers in the city of Montes Claros -Minas Gerais. Materials and Methods: this was a cross-sectional and quantitative study. We applied a questionnaire which included questions about the profile of the population, voice aspects based on the Voice Disorder Screening Index, as well as the perception of the population concerning the use of their voice in daily life. Results: around 674 people took part in the study. 62.1% of respondents were young adults, and 83.8% were female. The vast majority were married, with high school education and a monthly family income of approximately two minimum wages. More than half of the respondents (56.5%) have been employed for less than five years and they are responsible for less than 120 families. About 70.5% possess signs and symptoms of vocal alterations, the most cited being dry throat, throat clearing, tiredness when speaking, and hoarseness. Regarding the daily use of their voice, 50.1% reported they spoke a lot. Conclusion: the present study showed a high prevalence of vocal complaints among participants, calling attention to the need to develop plans for the prevention and treatment of vocal disorders.