Reconfigurações do Jornalismo Audiovisual: um estudo da cobertura do Fantástico sobre a pandemia da Covid-19

Lumina

Endereço:
FACOM - Universidade Federal de Juiz de ForaRua Professor Lourenço Kelmer, s/nCampus Martelos
Juiz de Fora / MG
36036-330
Site: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina
Telefone: (32) 2102-3601
ISSN: 19814070
Editor Chefe: Gabriela Borges Martins Caravela
Início Publicação: 31/05/2007
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Comunicação

Reconfigurações do Jornalismo Audiovisual: um estudo da cobertura do Fantástico sobre a pandemia da Covid-19

Ano: 2021 | Volume: 15 | Número: 3
Autores: Becker, B.
Autor Correspondente: Becker, B. | [email protected]

Palavras-chave: Jornalismo Audiovisual; Pandemia da Covid-19; Fantástico; Emoção; Telejornalismo

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A partir da Análise Televisual de 14 edições do Fantástico e entrevistas realizadas com profissionais que atuam no programa da Rede Globo de Televisão, este trabalho evidencia reconfigurações do jornalismo audiovisual articuladas à cobertura da pandemia da Covid-19. O estudo revela como as narrativas jornalísticas operaram a construção audiovisual da realidade, sob o negacionismo do governo federal no Brasil, e atribuíram significações à pandemia que ainda permeiam o imaginário social. O uso de imagens de profissionais e amadores captadas por videoconferências e dispositivos móveis e a exploração da emoção, abriram espaço para as subjetividades no telejornalismo. O testemunho de cidadãos anônimos e pessoas famosas ganhou protagonismo. Tais estratégias de aproximação com as audiências e de identificação com o outro virtualizaram afetos, geraram empatia e fomentaram solidariedade às vítimas da doença, aos seus familiares e às comunidades vulneráveis. Porém, as enunciações do Fantástico também acentuaram a relevância do jornalismo no combate às informações falsas. Essa nova forma de fazer reportagens e matérias, de representar a realidade e a população brasileira e de engajar os espectadores legitimou o poder do telejornalismo como ator relevante nas disputas políticas no país, sinalizando que a televisão ainda exerce centralidade do ambiente convergente e uma expressiva hibridização de gêneros discursivos, dispositivos, plataformas e telas na produção de notícias na atualidade. Os resultados também apontam a necessidade de alargar reflexões do campo do jornalismo sobre o engajamento do público com o conteúdo noticioso, destacando que a emoção ocupa espaço relevante nos relatos jornalísticos televisivos na contemporaneidade.