Sujeitos do Diálogo. Abordagem e implicações a partir da Teologia Católica

Pesquisas em Teologia

Endereço:
Rua Marquês de São Vicente - 225 - Gávea
Rio de Janeiro / RJ
22451900
Site: http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/index
Telefone: (21) 3527-1974
ISSN: 2595-9409
Editor Chefe: Prof. Dr. Abimar Oliveira de Moraes
Início Publicação: 05/12/2018
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Teologia

Sujeitos do Diálogo. Abordagem e implicações a partir da Teologia Católica

Ano: 2021 | Volume: 4 | Número: 8
Autores: Éverton Aparecido da Silva
Autor Correspondente: É. A. Silva | [email protected]

Palavras-chave: Sujeitos, Diálogo, Teologia Católica

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O diálogo consiste numa atitude espontânea em busca do encontro dos diferentes capaz de gerar frutos de uma experiência gratuita onde a beleza e o encanto do outro aproxima e cativa. Ao cristão, cabe ficar atento às necessidades e possibilidades do diálogo, é pré-condição para abertura ao pluralismo eclesial e religioso. As possibilidades de crescimento por meio do diálogo são inúmeras e legítimas. Sob a ótica de uma Teologia que preze pelo diálogo como mediador de aprendizagens significativas e da ressignificação das interações na troca diária de conhecimentos construídos mutuamente, acena-se como objetivo a relação dialogal como paradigma do agir cristão, promovendo a participação ativa dos agentes pastorais, ministros ordenados ou não, da Igreja Católica. A identidade do sujeito eclesial possui uma configuração relacional, que se dá com sua comunidade, na sociedade e com as diferentes tradições eclesiais e religiosas. Jesus é modelo de escuta, diálogo e anúncio, é o referencial na busca de estabelecer o diálogo no encontro com o outro. Com o Vaticano II se redescobre a beleza de ser a Igreja que Jesus formou para evangelizar o mundo. O diálogo como paradigma do agir cristão possui como fim a unidade do Povo de Deus.



Resumo Inglês:

The dialogue consists of a spontaneous attitude in search of meeting the different, capable of generating the fruits of a free experience where the beauty and charm of the other approach and captivate. It is up to the Christian to be attentive to the needs and possibilities of dialogue, is a precondition for opening to  ecclesial  and  religious  luralism.  The  possibilities  for  growth  through dialogue are numerous and legitimate. From the perspective of a Theology that values dialo gue as a mediator of meaningful learning and the reinterpretation of interactions in the daily exchange of mutually constructed knowledge, the objective  is  to  establish  a  dialogical  relationship  as  a  paradigm  of  christian action,  promoting  the  active  participation  of  pastoral agents,  ordained  or  notordained ministers of the Catholic Church. The identity of the ecclesial subject has a relational configuration, which occurs with his community, in society and with the different ecclesial and religious traditi ons. Jesus is a model of listening, dialogue and  announcement,  he  is  the  reference  in  the  search  to  establish dialogue in the encounter with the other. With Vatican II the beauty of being the Church that Jesus formed to evangelize the world is rediscovered. Dialogue as a paradigm of christian action aims at the unity of the People of God.