Tratamentos pré-germinativos em sementes de espécies da Caatinga

Journal of Environmental Analysis and Progress

Endereço:
Rua Manoel de Medeiros - SN - Dois Irmãos
Recife / PE
52171-900
Site: http://www.jeap.ufrpe.br
Telefone: (81) 9974-0932
ISSN: 2525-815X
Editor Chefe: Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel
Início Publicação: 30/09/2016
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

Tratamentos pré-germinativos em sementes de espécies da Caatinga

Ano: 2017 | Volume: 2 | Número: 4
Autores: J. V. G. de Siqueira, J. P. A. de Barros, Y. P. Araújo, T. G. F. da Silva, L. S. B. de Souza
Autor Correspondente: L. S. B. de Souza | [email protected]

Palavras-chave: Semiárido, dormência, emergência, Angico, Jurema-branca, Mulungu

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Algumas espécies da Caatinga apresentam sementes com dormência, um mecanismo que permite a germinação quando as condições ambientais propiciarem seu estabelecimento e sobrevivência; esta característica é vantajosa para a perpetuação e indesejável para os produtores que necessitam de uma rápida produção destas plantas. O estudo objetivou avaliar a eficiência da aplicação de tratamentos pré-germinativos em sementes de Angico (Anadenanthera colubrina) (Vell.) Brenan, Jurema-branca (Piptadenia stipulacea) (Benth.) Ducke e Mulungu (Erythrina velutina Willd.). Foram conduzidos dois experimentos independentes na Unidade Acadêmica de Serra Talhada. Sementes de Angico, Jurema-branca e Mulungu foram dispostas em delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repetições e 15 sementes. Foram aplicados os tratamentos pré-germinativos: T1-testemunha, T2-escarificação mecânica em extremidade oposta ao hilo com lixa de madeira, T3-escarificação mecânica em extremidade oposta ao hilo com lixa de madeira + imersão em água sob temperatura ambiente por 24 horas e T4-tratamento térmico com imersão em água a 80ºC por 2 minutos. A eficiência foi avaliada pelos parâmetros: porcentagem de germinação e índice de velocidade de emergência (IVE), dados biométricos (30 dias após a semeadura), como altura das plântulas, número de folhas e diâmetro do coleto. As sementes de Jurema-branca (P. stipulacea) e Mulungu (E. velutina), submetidas aos tratamentos pré-germinativos T2 e T3, apresentaram melhores desempenhos germinativos, refletidos no crescimento da plântula. O Angico (A. colubrina) não se mostrou sensível à aplicação dos tratamentos e a germinação foi anulada em decorrência da aplicação do tratamento T3. Em todos os casos foram observadas variações nos parâmetros em decorrência, possivelmente, das condições atmosféricas.