Ato e potência: caminhos para refletir o desenvolvimento da pessoa surda

Revista Educação em Contexto

Endereço:
Avenida Quinta Avenida - Q. 71, Nº 212 - Setor Leste Vila Nova
Goiânia / GO
74643-030
Site: http://revistaseduc.educacao.go.gov.br/
Telefone: (62) 3243-6802
ISSN: 2764-8982
Editor Chefe: Fábio Júlio Alves Borges
Início Publicação: 06/09/2022
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Educação

Ato e potência: caminhos para refletir o desenvolvimento da pessoa surda

Ano: 2023 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: I. M. C. Lopes
Autor Correspondente: I. M. C. Lopes | [email protected]

Palavras-chave: potencial, desenvolvimento, surdo.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente ensaio propõe refletir sobre o potencial da pessoa surda que, por vezes, tem a sua realização limitada em razão do caráter excludente da organização sociocultural, ordenada em desfavor à pessoa com deficiência. Nesse sentido, a potência de realização da pessoa surda é demonstrada como o seu atributo definidor em contraste à leitura social equivocada que a determina como incapaz. Sob esse viés, este estudo utilizou uma fundamentação acerca dos conceitos de ato e potência de Aristóteles, reconhecendo a pessoa surda enquanto ser racional em ato, perfeitamente capaz de realizar aquilo que se apresenta a ela como potência racional. Estes são também abordados a partir das concepções de Vygotsky, mostrando a divergência que existe entre os desenvolvimentos, natural e cultural, e ressaltando a necessidade de desenvolvimento cultural como forma de compensação da deficiência.



Resumo Inglês:

The present essay put to reflect on the potential of the deaf person who, so-metimes, you’re your limited realization in due to the excluding character of the socio-cultural organization, ordered against the disabled person. In this sense, the deaf person’s potential of achievement is demonstrated as his defining attribute, in contrast to the wrong social reading that determines the deaf as incapable. Under this bias, this study used a theoretical foun-dation is showed about Aristotle’s concepts of act and potency, recognizing the deaf person, while being a rational person in act, is perfectly capable of accomplishing what appears to him as a rational potency. These are also addressed, from the conceptions of Vygotsky, showing the divergence that exists between natural and cultural developments and highlighting the need for cultural development as a way of compensating for disability.