EL DOLO Y LA CULPA GRAVE EN EL CONTRATO DE SEGURO

Revista de Estudos Jurídicos da UNESP

Endereço:
Avenida Eufrásia Monteiro Petráglia, 900 - Jardim Doutor Antônio Petráglia
Franca / SP
14409160
Site: https://periodicos.franca.unesp.br/index.php/estudosjuridicosunesp/index
Telefone: (16) 3706-8700
ISSN: 2179-5177
Editor Chefe: Ana Clara Tristão
Início Publicação: 27/06/2023
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Ciências Humanas, Área de Estudo: Ciências Sociais Aplicadas

EL DOLO Y LA CULPA GRAVE EN EL CONTRATO DE SEGURO

Ano: 2010 | Volume: 14 | Número: 20
Autores: José A. Badillo Arias
Autor Correspondente: José A. Badillo Arias | [email protected]

Palavras-chave: contrato de seguro; legalidade; dolo e culpa grave, princípios.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Não parece razoável que tenha cabimento no seguro a cobertura de atosdolosos que os segurados pratiquem, nem das pessoas que por eles devam responder.Proteger atos deliberados do segurado vai contra a legalidade dos contratos, osprincípios do seguro - não é inerente a substância do contrato de seguro – e, também,estão excluídos expressamente das políticas. Esta questão, que é pacífica em segurosde danos e de pessoas em que a relação se estabelece entre o segurador e o segurado,não o é um seguro de responsabilidade civil, nos quais aparece um terceiro, alheio àrelação jurídica segurador/segurado, qual a lei outorga uma proteção especial, emvirtude, sobretudo, da possibilidade do exercício da ação direta do artigo 76 LCS.Este artigo analisa a polêmica que se dá entre os artigos 19 e 76 LCS. Enquanto aprimeira regra é aplicável a todos os tipos de seguros, não é cabível aos atos causadospor má-fé dos segurados; o segundo, no entanto, permite exigir da seguradora, inclusivenos casos de conduta dolosa do segurado.

Palavras-chave: contrato de seguro; legalidade; dolo e culpa grave, princípios.



Resumo Inglês:

It seems unreasonable that has place in insurance the coverage for intentionalacts that the insured perform or people that they should respond. Protect the deliberateacts of insured will against the legality of contracts, principles of insurance - is notinherent in the substance of the insurance contract - and, also, are expressly excludedfrom policies. This question, which is peaceful and safe from harm in people where therelationship is established between the insurer and the insured, is not a civil liabilityinsurance, in which appears a third person, unrelated to the legal relationship insurer/ insured, which law gives special protection, due mainly to the possibility of exercisingdirect action of article 76 LCS. This article examines the controversy between Articles19 and 76 LCS. While the first rule is applicable to all types of insurance, is not applicable to acts caused by bad faith of the insured; the second rule, however,require permits from the insurer, including in cases of willful misconduct of the insured.

Keywords: insurance contract; legality; fraud and negligence; principles.



Resumo Espanhol:

No parece razonable que tenga cabida en el seguro la cobertura de losactos dolosos de los asegurados ni de las que deban responder. Amparar hechosintencionados de los asegurados va en contra de la licitud de los contratos, de losprincipios del seguro – no existe el alea que es consustancial al contrato de seguro –y, además, se excluyen expresamente en las pólizas. Esta cuestión, que es pacífica enlos seguros de daños y de personas en los que la relación se establece entre elasegurador y el asegurado, no lo es en los seguros de responsabilidad civil, en los queaparece un tercero, ajeno a la relación jurídica asegurador/asegurado, al que la Leyle ortoga una protección especial, en virtud, sobre todo, de la posibilidad del ejerciciode la acción directa del artículo 76 LCS. En este trabajo analizamos la polémica quese da entre los artículos 19 y 76 LCS. Mientras el primero, norma aplicable a todas lasmodalidades de seguro, no da cabida a los actos causados por mala fe de losasegurados; el segundo, en cambio, permite reclamar a la aseguradora, incluso en lossupuestos de hechos dolosos de los asegurados.

Palabras-clave: contrato de seguro; licitud; dolo y culpa grave; princípios.