Teatro do Oprimido como método para a práxis da Psicologia Social Comunitária e Educação Popular no meio rural

Revista Brasileira de Educação do Campo

Endereço:
Avenida Nossa Senhora de Fatima, 1588, Centro, Cep. 77900-000, Tocantinópolis, Tocantins, Brasil. - Centro
Tocantinópolis / TO
77900000
Site: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo
Telefone: (63) 3471-6037
ISSN: 25254863
Editor Chefe: Gustavo Cunha de Araujo
Início Publicação: 31/07/2016
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Ciências Humanas, Área de Estudo: Educação, Área de Estudo: Linguística, Letras e Artes, Área de Estudo: Multidisciplinar

Teatro do Oprimido como método para a práxis da Psicologia Social Comunitária e Educação Popular no meio rural

Ano: 2021 | Volume: 6 | Número: Não se aplica
Autores: T. M. G. Velôso, M. P. M. Almeida, A. M. C. Arruda, L. M. S. David, M. R. U. Dantas, S. L. P. de Morais
Autor Correspondente: T. M. G. Velôso | [email protected]

Palavras-chave: teatro do oprimido, psicologia social comunitária, educação popular, assentamento rural.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este artigo tem como objetivo refletir sobre as contribuições do método do Teatro do Oprimido para uma experiência de extensão universitária num assentamento rural localizado no município de Campina Grande (Paraíba/Brasil). Essa experiência foi fundamentada na Psicologia Social Comunitária e na Educação Popular, orientada para o trabalho com o corpo e a afetividade, e objetivou estimular e fortalecer espaços de escuta e problematização da realidade, fomentando a autonomia e o protagonismo social. As oficinas psicopedagógicas com um grupo de crianças e um grupo de adolescentes foi um dos instrumentos metodológicos utilizados. As oficinas visavam estimular o gosto pela leitura, a criatividade, a reflexão crítica e a autonomia com a utilização de estratégias de leitura e sociais, jogos recreativos e variadas linguagens artísticas, como o método do Teatro do Oprimido. Esse método também foi utilizado através da apresentação de uma peça para a comunidade, que foi montada de acordo com a técnica do teatro-fórum com base em informações obtidas no assentamento. A partir do relato de três oficinas e da experiência de teatro-fórum, constatou-se que o método do Teatro do Oprimido se alinha às perspectivas teóricas adotadas e contribui para o desenvolvimento de posturas mais participativas, críticas e solidárias que favoreçam mudanças sociais.  



Resumo Inglês:

This goal of this article is to reflect on the contributions of the method of the Theatre of the Oppressed used by a university extension experiment at a rural settlement in the city of Campina Grande (Paraíba/Brazil). This experiment was based both on Social Community Psychology and on Popular Education addressed to physical education and affectivity, envisaging stimulating and strengthening listening opportunities and the problematization of reality, supporting the autonomy and social leadership. The psycho-pedagogical workshops carried out with a group of children and a group of adolescents was one of the methodological instruments used. The workshops intended to stimulate the taste for reading, creativity, and the critical reflection and autonomy by using reading and social strategies, recreational games and different artistic languages, such as the method of the Theatre of the Oppressed. This method was also used through the presentation of a play for the community, which was assembled according to the forum-theatre technique based on information obtained in the settlement. Starting from the report after three workshops and after the forum-theatre experiment they concluded that the method of the Theatre of the Oppressed aligns to the theoretical perspectives adopted and contributes to the development of more participative, critical and solidarity postures envisaging social changes.



Resumo Espanhol:

Este artículo tiene como objetivo reflexionar sobre las contribuciones del método Teatro del Oprimido desde una experiencia universitaria en un asentamiento rural ubicado en el municipio de Campina Grande (Paraíba/Brasil). Esta experiencia fue basada en la Psicología Social Comunitaria y en la Educación Popular, orientada para un trabajo con el cuerpo y la afectividad, con el objetivo de estimular espacios de escucha y problematizar la realidad, fomentando la autonomía y el protagonismo social. Los talleres psicopedagógicos con un grupo de niños y un grupo de adolescentes fue un de los instrumentos metodológicos utilizados. Los talleres buscaban estimular el gusto por la lectura, la creatividad, la reflexión crítica y la autonomía con la utilización de estrategias sociales y de lectura, juegos recreativos y variados lenguajes artísticos, como el método Teatro del Oprimido. Ese método también fue utilizado a través de la presentación de escenas para la comunidad, que fue construida conforme la técnica de teatro foro con base en informaciones obtenidas en el asentamiento. A partir del relato de tres talleres y de la experiencia del teatro foro, se constató que el Teatro del Oprimido está en línea con las perspectivas teóricas adoptadas y contribuye al desarrollo de actitudes más participativas, críticas y solidarias que favorezcan los cambios sociales.